Quem tem medo da segunda-feira?

Em algumas pessoas, basta cair a tarde de domingo e já se instala certa ansiedade diante da chegada da segunda-feira. Outros experimentam, até, alguma desesperança quanto ao que trará o primeiro dia útil.
E esse desassossego no início do ciclo semanal parece cada vez mais comum. Mas, a segunda-feira é recomeço. Então, que tal refletirmos sobre os véus do negativismo que encobrem suas possibilidades como tempo novo?

É natural que, de vez em quando, experimentemos alguma apreensão frente aos ciclos do calendário. Ás vezes, sentimos certa vulnerabilidade diante das exigências impostas por nossas obrigações. Seja pelo nível de dificuldade que se apresenta, seja pelo tipo de relação que temos com pessoas com quem iremos trabalhar; ou, ainda, por estados de espírito que nos levam a conferir à missão forte caráter de visível sacrifício e de pouco retorno à vista.
Então, como eliminar crenças desanimadoras para ultrapassar o vale da desesperança e alcançar o topo da confiança pedida pelos recomeços?

Há caminhos a experimentar:
Autoconfiança e compromisso. Trocar as lentes da autoimagem e enxergar a si mesmo como alguém capaz e confiante. Confiança e compromisso são inseparáveis. Goethe dizia: ‘quando estamos comprometidos, o cosmo conspira a favor’. Então, comece com um compromisso e alimente-se de autoconfiança.

Recomeçar. Mas se o bom princípio é uma vantagem, também não significa que um início ruim será condenação ao fracasso. Podemos recomeçar com a vantagem conhecer os tropeços e vicissitudes do caminho.
O sentido do trabalho. No pensamento ocidental, trabalho e sacrifício são quase sinônimos. Essa noção muitas vezes imprime um caráter aversivo ante a iminência da semana de obrigações. Mas, toda ação encerra ambiguidades. Há realmente, o lado agônico de esforço, mas também, seu lado dionísico como ato de construção e redenção.

Fluxo contínuo. A realidade está em constante movimento. Muitos ciclos compõem a vida. Veja suas fases e as estações do ano. Ciclos inexoráveis. E diante do inexorável, há duas opções: negar o fluxo do tempo ou acolher cada dia como confirmação de vida.

A segunda-feira começa no domingo. Cuidar do fim de semana é a melhor maneira de começar a segunda-feira. Inventar momentos agradáveis com os que amamos. Reservar tempo para si. Curtir o prazer da própria companhia.

Reequilibrar-se. Aristóteles ensinava o equilíbrio como o caminho da felicidade, então, que tal usar o final de semana para reequilibrar energias? Os excessos não ajudam, o bom é sair da rotina sem exageros, sem descompensar nosso ritmo mais saudável.

Discurso interno. Falando sobre o poder de nossas próprias crenças, Aravind Adiga, escritor indiano, diz que ‘É difícil um homem mergulhado na lama cheirar bem’. Com a frase ele afirma ser impossível a alguém imerso em pensamentos ruins ter experiências positivas. E, realmente, na receita do andar firme é preciso pingar gotas do mais puro otimismo.

Em síntese, transforme o tempo do calendário. Transforme Cronos (tempo medido) em Kairós (tempo vivido) e aproveite. Afinal, o tempo é hoje, mas a esperança é sempre.

Compartilhar
Liduína Benigno Xavier
Psicóloga, Mestre em Educação, formação em Facilitação de Processos humanos nas organizações, a escritora é consultora organizacional há mais de vinte e cinco anos; É autora do livro: Itinerários da Educação no Banco do Brasil e Co-autora do livro: Didática do Ensino Corporativo - O ensino nas organizações.Mantém o site: BlogdoTriunfo que publica textos autorais voltados ao aperfeiçoamento pessoal dos leitores e propõe reflexões que ajudam o leitor a formar visão mais rica de inquietações impactantes da existência.



COMENTÁRIOS