Já reparou na importância das mudanças? E porque será que mesmo quando mudamos tantas coisas, parece que nada progride na nossa vida? Mudamos de trabalho, mudamos de casa, mudamos nosso círculo de amizade, mudamos de carro, e por mais que essas mudanças promovam algum tipo de satisfação para nós, é uma satisfação que passa tão rápido que muitas vezes nem percebemos. E aí lá estamos nós outra vez, insatisfeitos com várias coisas e situações nas nossas vidas. É uma mudança automática, tão automática que desfrutamos dela tão pouco, ou pior, muitas vezes não desfrutamos nada.

Olhamos e percebemos que mesmo mudando várias coisas ao nosso redor, nossa insatisfação continua, nosso vazio também, nossas dores e tristezas continuam ali, escondidas. E você se pergunta: Porque mesmo mudando tantas coisas continuo como se tivesse parado no tempo? Cultivando meus medos, tristezas e insatisfações? O que preciso mudar para ter mais satisfação na vida, mais felicidade, mais paz?

Percebemos  que enquanto nossas mudanças forem baseadas no outro ou em coisas, não podemos sequer chamar de mudança, já que o resultado será sempre o mesmo: insatisfação. E claro, ninguém quer viver insatisfeito com a própria vida. Muitos perceberam que para progredir na vida, é preciso sim de mudanças, mas o que ainda não se atentaram, é que não adianta mudar tudo que está fora de nós se dentro de nós tudo continua do mesmo jeito.

É preciso então começar uma mudança interna, mudança de pensamentos. E isso só se consegue quando estamos dispostos a nos conhecer, e sim é dolorido se conhecer, as vezes assusta enxergar que o maior causador dos nossos problemas somos nós mesmos. Mas é conhecendo a si mesmo na sua mais profundidade, que conseguiremos uma mudança que nos trará satisfação e nos fará progredir em tudo que queremos.

Imagem de capa: Shutterstock/Africa Studio

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Ana Paula Alvarenga - Existência em Equilíbrio
Ana Paula Alvarenga, da página Existência em Equilíbrio, é Psicóloga Clínica, Pesquisadora sobre Ansiedade,Depressão, Tanatologia e Suicidologia, com Extensão em Dependência Química pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atua no contexto clínico em seu consultório particular atendendo adolescentes, jovens e adultos sob orientação fenomenológico-existencial. Também atende através de Orientação Psicológica de forma Online para situações breves e pontuais. Atua com ênfase no tratamento para depressão, ansiedade, ideação suicida, baixa autoestima, estresse, traumas, dependência química, relacionamentos tóxicos, timidez excessiva e fobia social. Orientação no Planejamento de Carreira.

COMENTÁRIOS