Resiliência psicológica

A palavra resiliência vem do Latim. Resilire, que significa recusar, voltar atrás.  É também a capacidade que temos de sermos flexíveis em momentos que estamos diante das adversidades. Essa flexibilidade é erguida por meio de um conjunto de crenças que permitem transcender os obstáculos da vida e progredir no futuro com superação.

O resiliente é uma pessoa que, mesmo quando perde o emprego, bate o carro, é logrado pelos sócios, repete o erro de confiar em que não deveria, morre seus pais, é traído pela esposa, sofre decepção com um filho, passa por uma grave doença e faz uma cirurgia de risco. Porém, ela continua, firme e forte, ela não se deixa abater. E a gente se questiona: Como essa pessoa consegue?

Mas existe uma explicação para isso, não se é resiliente sozinho, apesar da resiliência ser subjetiva. A psicologia destaca o valor do relacionamento com a família, sobretudo na infância, que auxiliou na constituição da inteligência emocional da pessoa em suportar as crises que a vida traz. E a sociologia diz que o capital cultural que pessoa adquiriu de herança, transformou ela em resiliente.

Algumas áreas da vida estão ligas à resiliência psicológica e cooperam para a superação das adversidades, tais como otimismo com a vida, que é habilidade de confiar no desempenho, contornar os problemas, ter olhar positivo e cultivar esperança. Outro fator importante, que é dar sentido à vida, como ter razão de viver, colocar-se em segurança, ter fé na vida, avaliar riscos e ter significado e propósito na vida.

Além disso, o resiliente tem empatia pelos outros, que significa a competência de compreender suas emoções e saber lidar com as situações difíceis que a vida impõe. O resiliente tem autoconhecimento, uma vez que conquistou o caminho da maturidade e da sabedoria. Carlos Drummond de Andrade, escreveu: “A dor é inevitável. O sofrimento, opcional”. A lucidez do poeta está falando das qualidades do indivíduo resiliente.

A neuropsiquiatria têm estudos que comprovam que nosso cérebro possui a aptidão de se modificar continuamente, ou seja, de se recuperar, mostrando que podemos nos tornar uma melhor e nova pessoa.  A música “Volta por Cima”, de Paulo Vanzolini, tem muito a nos ensinar sobre resiliência. O refrão fala: “Reconhece a queda e não desanima. Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima”.

Jackson César Buonocore é sociólogo e psicanalista

Compartilhar
Jackson César Buonocore
Jackson César Buonocore Sociólogo e Psicanalista



COMENTÁRIOS