Há quanto tempo sua vontade de permanecer trancada em um quarto escuro só tem aumentado? Há quanto tempo você se sente esgotado e sem ânimo para fazer absolutamente nada? Há quanto tempo você deixou de vivenciar momentos de prazer?
Há quanto tempo você tem evitado o espelho pois nele reflete uma pessoa que você não mais reconhece?

Há quanto tempo você está perdido dentro de um mar de tristezas, angústias e desespero?
Há quanto tempo você abandonou os seus sonhos? Há quanto tempo você não sabe mais o que é sonhar, o que é ter esperança? Há quanto tempo você tem deixado as atitudes de outras pessoas definirem seu estado emocional?

Há quanto tempo você é vítima das outras pessoas?

Há quanto tempo você tem a sensação de que a culpa de todos os seus problemas, estão nas pessoas com quem você se relacionou durante a sua vida? Pai, mãe, irmão, avó, madrasta, amigo, marido, namorado, colega de trabalho? A lista é imensa, não é mesmo?
Há quanto você pensa que a sua felicidade ou a cura para a sua tristeza está nas mãos de outra pessoa? Há quanto tempo você perdeu o controle da sua própria vida?

São tantas perguntas para se refletir, tantas certezas mascaradas, falsas verdades. Praticamente um verdadeiro caos onde não se consegue identificar mais nada. Por que será isso? Você foi vítima de alguém ou de alguma circunstância? Ok. É possível que tenha sido vítima, mas por quanto tempo?

Será que é possível que você faça alguma escolha em que você deixe de ser vítima?
Até quando o seu passado irá definir o seu presente, o que você vive hoje?
O filósofo francês Sartre um dia disse o seguinte: “ Não importa o que fizeram com você. O que importa é o que você faz com aquilo que fizeram com você”.

Ou seja, você pode sim ter sido vítima de alguma situação ou de alguma pessoa, mas o que você fez depois disso? Ficou olhando o passado e deixando com que ele consuma todo o seu fôlego de vida? É importante ficar atento a esses pensamentos e a frequência com que eles dominam a nossa mente.

Lembrar do passado, principalmente de situações que causam dor, só te trará um resultado: mais dor e mais desespero. Só tem um lugar que vale muito a pena você lembrar do passado: nas sessões de psicoterapia. Lá você terá um profissional que acolherá o seu passado e te ajudará a lidar com ele, te ajudará a cicatrizar essas feridas abertas, para que a partir disso crie possibilidades e tenha realmente uma nova vida livre da depressão.

Se você não consegue parar de pensar no passado, não consegue olhar para frente, está totalmente esgotado, sem energia e sem ânimo. Você precisa procurar ajuda de um profissional! Depressão é uma doença e precisa de tratamento! Assim como quando quebramos um braço e temos que ir ao médico colocar gesso para que os ossos voltem para o local correto.

Podemos dizer que nossa saúde psíquica também precisa desse tratamento para voltar a ter seu funcionamento de forma saudável E se há tratamento, por que não fazer o tratamento? Porque as pessoas dizem que psicólogo é para gente louca? Ou que psicólogo é para gente fresca e fraca? Sua vida é muito mais importante do que esses comentários vazios, repletos de preconceito e totalmente desprovidos de qualquer conhecimento científico.

Psicólogo é para todas as pessoas que estão decididas a resolverem os seus problemas, para pessoas que querem enfrentar suas feridas e dores, se conhecer de forma mais profunda, para que assim através das sessões de psicoterapia esvazie todas as angústias e assim consiga olhar para frente, restaurar a visão e ter prazer pela vida.

Imagem de capa: Shutterstock/Stanislaw Mikulski

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Ana Paula Alvarenga - Existência em Equilíbrio
Ana Paula Alvarenga, da página Existência em Equilíbrio, é Psicóloga Clínica, Pesquisadora sobre Ansiedade,Depressão, Tanatologia e Suicidologia, com Extensão em Dependência Química pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atua no contexto clínico em seu consultório particular atendendo adolescentes, jovens e adultos sob orientação fenomenológico-existencial. Também atende através de Orientação Psicológica de forma Online para situações breves e pontuais. Atua com ênfase no tratamento para depressão, ansiedade, ideação suicida, baixa autoestima, estresse, traumas, dependência química, relacionamentos tóxicos, timidez excessiva e fobia social. Orientação no Planejamento de Carreira.

COMENTÁRIOS