A maioria das pessoas não se perguntam: “Sou um homem ou uma mulher?”. Para elas a resposta é óbvia. Já para um transexual, o sexo que ele nasceu é completamente errado, pois a forma como ele se vê é a oposta. Confira, no artigo de hoje, como a psicologia enxerga esta questão. Acompanhe:

O que é um transexual?

Transexuais (homens e mulheres) vivem uma inconsistência psicológica entre o sexo com o qual nasceram e sexo ao qual se reconhecem. Como exemplo podemos citar a socialite Caitlyn Jenner, conhecida como Bruce Jenner. Caitlyn não era feliz e não se reconhecia enquanto mantinha a identidade masculina. A primeira aparição de Caitlyn foi na revista americana Vanity Fair, cuja chamada dizia “Me chamem de Caitlyn”.

O processo de transformação da modelo foi longo e demorado, incluindo cirurgias plásticas para implantar próteses de silicone, rinoplastia, aumento da região maxilar e várias outras cirurgias faciais para deixá-la com as feições do rosto mais delicadas. Após o processo, Caitlyn recebeu o apoio da família e de alguns famosos.

Transexualidade x travestismo

A transexualidade não deve ser confundida com o travestismo. Um travesti não rejeita o seu corpo e, geralmente, não apresenta conflitos com a sua identidade sexual. Podemos dizer que transexuais não são pessoas “disfarçados” de outro sexo, muito pelo contrário, pois um transexual é uma pessoa que se dedica a uma mudança da sua vida social para alcançar a harmonia física por ela desejada.

A transexualidade pode, então, ser definida como o estado no qual uma pessoa com uma diferenciação sexual somática aparentemente normal está convencida de que é, na verdade, um membro do sexo oposto. Portanto, um transexual é alguém cuja identidade de gênero não corresponde à anatomia do seu corpo. Ou seja, a transexualidade afeta a “identidade de gênero”.

Existem dois tipos de transexuais: mulheres transexuais são mulheres com corpo masculino, enquanto os homens transexuais são os homens com o corpo da mulher. O transexualismo é uma condição rara, mas há milhares de transexuais no mundo.

Processo de mudança de gênero

O único tratamento bem-sucedido encontrado para um transexual é viver como membro do sexo que pertence psicologicamente. O processo de mudança de papel ou de gênero é extremamente difícil e é sempre o último recurso, realizado somente depois de anos de reflexão íntima e acompanhamento psicológico. A dificuldade da mudança que o transexual deve suportar nunca é o resultado de um capricho, curiosidade ou tédio. A escolha deste caminho ocorre, porque nenhuma outra forma de vida para ele é suportável.

No entanto, quase todos os transexuais descobrem que, apesar de, por vezes, estarem sujeitos ao preconceito e a discriminação, a mudança de sexo pode ser a única maneira de ter uma vida agradável e gratificante.

Investigação médica

A investigação médica recente, como a realizada por LJG Gooren, está inclinada a conceder um papel maior na determinação do sexo ao chamado sexo cerebral. Ao ponto de ser esta uma dos principais evidências de que uma pessoa pertence a um determinado sexo. Por esse entendimento a noção de sexo não é baseada em considerações biológicas ou cromossômicas, mas na percepção de cada indivíduo sobre si mesmo.

Imagem de capa: Shutterstock/Lukatme

TEXTO ORIGINAL DE VALOR DO CONHECIMENTO

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Psicologias do Brasil

Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.


COMENTÁRIOS