Você é muito ciumento(a)? Conheça a síndrome de Otelo.

Por Ana Cláudia Vargas

Quando o assunto é ciúmes há quem diga que “ciúmes faz parte do amor” , mas também há os que digam que o ciúme foi a causa do fim do relacionamento. Mas e ai, é normal ou não sentir ciúmes?

O sentimento de ciúmes envolve a ideia de posse e o medo real ou imaginário de perder o parceiro. Sentir ciúmes é uma emoção considerada normal, mas em alguns casos, essa emoção torna-se patológica quando gera sofrimento tanto para o ciumento quanto para o parceiro. Quando o ciúmes causa sofrimento ou abala o relacionamento ele não pode ser considerado “normal”.

CIÚME PATOLÓGICO OU SÍNDROME DE OTELO

Otelo é um personagem de um romance de William Shakespeare. O personagem ama demais sua esposa, mas por estar convencido de que ela é infiel acaba matando a amada, mas logo em seguida descobre que a mulher era inocente. Devido a esse romance o ciúme patológico também é conhecido como síndrome de Otelo.

O ciúme patológico consiste na ideia persistente de que o parceiro (a) possui outros relacionamentos, não importando qual seja a realidade da relação amorosa, pois a sensação é que a relação afetiva esta em constante ataque por parte de outras pessoas. Nesse sentido, a pessoa com ciúme patológico interpreta tudo no ambiente como uma prova da infidelidade do parceiro, já que a todo momento o sentimento é de que o relacionamento corre perigo.

É importante esclarecer que o ciúme patológico é um somatório de comportamentos e pensamentos infundados devido ao medo da perda do parceiro.
O ciúme patológico também pode ser causado por uso de drogas e álcool, o que muitas vezes leva a agressões físicas e psicológicas.

TODO MUNDO SOFRE

Quando há a presença de um parceiro com ciúme patológico não há quem não sofra.

O parceiro sofre por ter que passar por inúmeros questionamentos, desconfianças e tentativas frustradas de provar que não há motivos para tanto ciúme.

O ciumento sofre porque tudo indica que ele está sendo enganado, o que o leva a sentimentos de angústia, raiva e a diversos sofrimentos emocionais.

O relacionamento então torna-se algo insuportável, onde o ciumento está em profundo sofrimento por suas desconfianças e o parceiro(a) não suporta mais ser acusado injustamente. Começam as brigas, que se tornam cada vez mais frequentes, até chegar em ponto em que o relacionamento torna-se doentio.

PROCURE AJUDA

Se você se identificou como o ciumento é importante que você procure ajuda. Com a ajuda de um terapeuta você poderá:

Trabalhar sua auto-estima,
Aprender a comunicar-se de forma saudável quando você identifica alguma ameaça;
Aprender a verificar a veracidade de seus pensamentos
Entender o motivo de tanta desconfiança
Desenvolver estratégias para o controle dos seus comportamentos

Não deixe de procurar a ajuda de um especialista, pois viver em um relacionamento de desconfianças impede o crescimento pessoal e do próprio relacionamento.

TEXTO ORIGINAL DE ACESSEPSICOLOGIA

Compartilhar
Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.



COMENTÁRIOS