Você é uma pessoa rígida e inflexível?

Rigidez, inflexibilidade, teimosia, intransigência e obstinação. Quem nunca conviveu com pessoas assim? São pessoas rígidas em seu modo de vestir, falar, pensar, sentir e agir. A rigidez mental nos torna prisioneiros, pois diminui nossa capacidade de adaptação, criatividade, espontaneidade e positividade. Nos prendemos a velhos padrões que nos impedem de crescer intelectualmente e emocionalmente. Silvana Frassetto, psicóloga clínica e especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental e Terapia do Esquema (Modelo de Terapia Cognitiva com foco no tratamento de diversos transtornos de Personalidade), acredita que a rigidez é um apego obstinado às próprias ideias e desejos. “Onde há rigidez não há troca e nem crescimento, pois impera a estagnação em todos os sentidos e níveis”, comenta.

Padrões de pensamentos rígidos são altamente limitadores, pois refletem pessoas que não estão prontas para mudar. Pare por um segundo e pense se você é rígido em algum comportamento. Será que não está compensando algum desejo inconsciente? Atrás de todo excesso ou rigidez se encontra a não aceitação da naturalidade da vida.

Ser flexível não quer dizer ser inconstante, vulnerável, volúvel, mas ser acessível à compreensão das coisas e pessoas, começando por si mesmo. Silvana lembra que ser rígido é estar parado no tempo e no espaço com conceitos e crenças lembra que imobilizadoras. “Ser mais flexível é fator básico para o crescimento interior, mental e espiritual”.

Confira dicas para tornar-se uma pessoa mais flexível:

  1. Sentir-se satisfeito com as coisas boas que estão acontecendo e não se prender às ruins.
  2. Estar pronto para adotar novas estratégias caso a ideia inicial falhar. A adaptação rápida facilitará muitos processos.
  3. Refletir tempo o suficiente para analisar todos os pontos problemáticos com clareza. A pausa mostra-se uma ótima opção para que o controle da situação permaneça.
  4. Entender as críticas como uma forma de aprimoramento pessoal.
  5. Mudar de opinião sem ter medo de fazê-lo. Muitas vezes, novas informações são obtidas e descaracterizam as ideias anteriores.
  6. Seja mais atento ao sentimentos e pensamentos dos outros.
  7. Invista na sua autoconfiança, empatia e na sua “voz interior”.
  8. Veja o lado bom dos imprevistos porque só assim será mais fácil lidar de maneira bem humorada com os problemas.
  9. Por fim, atingir mais flexibilidade ao ajudar outras pessoas e ouvir diferentes opiniões fará com que você seja bem quisto por todos.

Referência Bibliográfica: www.psicologiasdobrasil.com.br

Compartilhar
Dra Silvana Frassetto
Especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental pela WP (Wainer Psicologia Cognitiva) – Centro de Excelência em Psicoterapia Cognitivo-Comportamental no Brasil. Doutora em Bioquímica com Ênfase em Neurociência (UFRGS). Formação em Terapia dos Esquemas pela WP e NYC – Institute for Schema Therapy. Tutor qualificado COGMED – Treinamento de atenção e memória de trabalho (operacional). Supervisão Clínica Professora do Curso de Psicologia da ULBRA – Canoas. Professora do Curso de Especialização em Psicoterapia Cognitivo-Comportamental do Instituto WP em vários Estados do Brasil. Professora da Wainer Psicologia Cognitiva. Professora do Curso de Especialização em Neuropsicologia da PROJECTO. Professora do Curso de Especialização em Psiquiatria do Instituto Abuchaim. Membro da Federação Brasileira de Terapias Cognitivas – FBTC.



COMENTÁRIOS