Você tem medo do amor verdadeiro?

Por Aran Andrade

Temos relações de uma noite, de umas horas, de um dia ou de um mês, nada que nos comprometa, que nos faça sentir algo mais além do desejo, nada que signifique amar alguém, demonstrar sentimentos, ternura e afeto. Temos medo do amor verdadeiro?

Inventamos todo tipo de desculpas para nos ampararmos nas frases “não tenho tempo”, “amo a minha liberdade”, “quero estar sozinho”, “não quero nenhum compromisso”, “não quero me separar dos meus amigos”, quando o que realmente acontece é que temos medo de nós mesmos.

Descubra o que é o amor verdadeiro

Segundo o psicólogo Walter Riso, devemos diferenciar o que é o amor bom (saudável, coerente e construtivo), do amor mau (doentio, incoerente, destrutivo). O amor verdadeiro contém sempre três elementos, e se faltar algum, o sofrimento irá aparecer mais cedo ou mais tarde.

Esses três elementos do amor verdadeiro são: Eros, Philia e Ágape. Eros é o desejo sexual e se manifesta na possessão e na paixão. É a faceta mais egoísta do amor. Philia é a amizade entre o casal, que nos faz transcender o Eu, buscando compartilhar. Ágape é o amor desinteressado, a ternura e a delicadeza.

Ao longo do tempo, durante a relação amorosa, pode ser que predomine mais um elemento do que outro, mas sempre devem existir os três. Em relação a este tema, cabe destacar que vários cientistas da Universidade de Stony Brook de Nova Iorque descobriram que o amor pode perdurar no tempo.

casal-pensando-no-amor

Foram realizados exames cerebrais em vários casais que estavam juntos há 20 anos e em outros que haviam acabado de começar o relacionamento. Os cientistas compararam os resultados e perceberam que um em cada dez casais maduros tinha a mesma reação química que os casais que acabaram de começar. Isto demonstra que é possível manter o mesmo nível de amor, mesmo que os anos passem.

As causas do nosso medo de amar

Ter receio em relação ao que é novo, ao que pode nos fazer sofrer, nos paralisa e nos impede de descobrir o amor verdadeiro. É evidente que algumas relações funcionam e outras não, e que sempre existe um risco.

Vivemos em uma sociedade na qual tudo ocorre muito depressa, não paramos para conhecer as pessoas e passamos de um relacionamento para outro sem nos permitir sentir ou desfrutar o prazer de descobrir alguém. Isto se deve a diversas causas, entre as quais podemos destacar as seguintes:

Sinto-me vulnerável

Começar uma relação nos faz sentirmos inseguros e vulneráveis porque nos expomos perante a outra pessoa e, às vezes, é mais fácil para nós despirmos o nosso corpo do que a nossa alma. Sentimos uma falta de controle sobre o que pode acontecer no futuro e isso nos faz sentir medo.

Não conhecemos a outra pessoa, às vezes desconfiamos, mas conhecer alguém ou ter uma relação sempre é um risco que as duas pessoas que estão se descobrindo correm. Dizer o que sentimos ou expressar os nossos anseios é importante para criar uma base de um amor de verdade.

Lembro que me magoaram no passado

Tomos nós sofremos com términos e situações complicadas em uma relação, e com o tempo conseguimos curar o nosso coração. No entanto, quando aparece outra pessoa revivemos de certo modo essa dor e nos lembramos do ocorrido porque temos medo de que isso volte a acontecer.

mulher-gaiola-corçaão

Essa bagagem que representa o nosso passado às vezes nos impede de sermos nós mesmos com a pessoa que estamos conhecendo, e só mostramos uma parte do nosso ser, impedindo que a outra pessoa nos conheça e saiba como realmente somos e o que sentimos.

O amor envolve sofrimento

Muitas pessoas identificam o amor com o sofrimento e por isso não querem começar um novo relacionamento, então fogem quando alguém demonstra interesse. É essencial eliminar da nossa mente crenças limitantes que nos impedem de ver a realidade e de conhecer o amor.

Temos medo de perder a outra pessoa, e isso nos impede de ter uma relação saudável, porque tentamos possuir em vez de amar. Essa vontade de possessão pode acabar por deteriorar o relacionamento, por criar desconfianças e afastar o nosso parceiro.

A outra pessoa me afasta dos meus amigos e da minha família

Muitas pessoas têm medo de ter uma relação porque pensam que ter um parceiro significa ter que afastar de seus amigos. Combinar o parceiro com os amigos não tem por que ser uma complicação, podem até ser duas facetas que se complementem sem maior conflito.

O mesmo ocorre com a família. Muitas pessoas pensam que começar uma relação significa romper os laços com sua família e têm medo de que isso ocorra, por isso fogem de qualquer compromisso. Se superarmos essa crença e integrarmos todas as pessoas importantes da nossa vida, nos sentiremos plenos e felizes.

TEXTO ORIGINAL DE A MENTE É MARAVILHOSA

 

Compartilhar
Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.



COMENTÁRIOS