A fibromialgia é uma síndrome que se caracteriza pelo aumento da resposta do corpo diante de dores musculares e articulares. Vem acompanhada de fortes episódios de fadiga, além de problemas digestivos, contínuas dores de cabeça e sensação de formigamento nas extremidades.

Sua causa exata ainda não foi definida, mas especialistas em saúde os relacionam a fatores genéticos, sedentarismo e a algumas doenças. Ainda que se desenvolva de várias formas em cada caso, em geral os pacientes apresentam um aumento nos níveis de inflamação que, por sua vez, desencadeia outras reações.

O problema é que muitos tendem a confundi-la com outras doenças comuns e, já que não encontram um tratamento adequado, tendem a apresentar complicações. Por essa razão, é importante conhecer como se manifesta e que sinais permitem suspeitar de seu desenvolvimento.

Confira!

Sinais da fibromialgia

1. Rigidez do corpo

Um dos problemas mais frequentes das pessoas afetadas por essa doença é a rigidez corporal, que sentem sobretudo nas primeiras horas após o despertar. É uma sensação parecida à que sofrem os pacientes diagnosticados com artrite, já que pode dificultar o movimento.

2. Dificuldades de concentração

Este sintoma, conhecido como “névoa fibro”ou “névoa cerebral”, se manifesta como problemas de concentração e memória nos afetados pela fibromialgia. A pessoa não consegue focar-se por completo em suas atividades e, algumas vezes, vivencia a perda de memória a curto prazo.

3. Sensação de esgotamento

A fadiga crônica ou o esgotamento físico e mental é outros dos sintomas comuns de quem está desenvolvendo esta síndrome. A sensação de estar com o corpo todo pesado, somada ao estresse mental, impede a pessoa de realizar normalmente as atividades diárias e, por isso, gera uma sensação de cansaço, inclusive ao despertar ou realizar tarefas simples.

4. Dor em todo o corpo

Os pacientes diagnosticados com fibromialgia podem experimentar dor, leve ou intensa, que vai desde os pés até a cabeça. Ela pode começar com pouca intensidade e ser intermitente, mas tende a se tornar uma sensação de dor “profunda, aguda e latejante”.

Afeta os ligamentos, músculos e tendões e, infelizmente, pode não responder facilmente aos efeitos dos analgésicos à venda no mercado.

5. Má qualidade do sono

Por causa dos sintomas físicos e mentais, as pessoas com esse problema têm dificuldade para ter um sono de boa qualidade. Os neurotransmissores cerebrais apresentam alterações em seu funcionamento e, já que tardam mais para estimular o cérebro, afetam o período de descanso.

Por outro lado, o mal-estar corporal causado pela dor pode piorar com as posições ao dormir e, por sua vez, causar interrupções durante o sono.

6. Inchaço e formigamento

Uma forte sensação de dormência nas extremidades, assim como o incômodo formigamento, podem ser um alerta das etapas iniciais da fibromialgia. Trata-se de uma sensação de “alfinetadas” nas mãos e pernas que, ainda que às vezes dure apenas alguns minutos, pode ser constante.

Esses sintomas podem aumentar durante a noite, durante o período de descanso, ou até quando ficamos na mesma postura por muito tempo.

7. Problemas digestivos

Os desequilíbrios nos processos inflamatórios do organismo causados pela fibromialgia podem andar de mãos dadas com sintomas digestivos parecidos aos provocados pela síndrome do intestino irritável.

Além disso, grande parte dos pacientes apresenta dores abdominais recorrentes, além de acúmulo de gases e refluxo gastroesofágico.

8. Sensibilidade ambiental

Frequentemente, os afetados com este problema apresentam sensibilidade e reações alérgicas diante de fatores ambientais, como o ruído e a poluição.

O corpo experimenta sintomas parecidos aos das enxaquecas, já que reage de forma negativa diante do excesso de luz, dos ruídos fortes ou das substâncias químicas presentes em alguns produtos.

9. Sensibilidade à temperatura

Por causa das contínuas mudanças que o corpo experimenta por causa dos desequilíbrios inflamatórios, os pacientes com fibromialgia têm dificuldade de regular sua temperatura corporal.

Esse sintoma impede que, algumas vezes, descansem de maneira adequada, por causa do excesso de frio ou calor que sentem em repouso. Além disso, as mudanças bruscas de temperatura podem gerar um maior impacto, já que a sensibilidade a elas é muito mais forte que em comparação a uma pessoa saudável.

10. Depressão

Algo muito difícil de ignorar nos pacientes com fibromialgia são os contínuos episódios de depressão que atravessam, por causa do desenvolvimento dos sintomas. Infelizmente, esta doença tem um impacto notório na qualidade de vida e, por causa das limitações, a pessoa apresenta mudanças emocionais, como estados profundos de tristeza.

Entender o desenvolvimento da fibromialgia não é simples e requer ajuda médica, psicológica e familiar. É fundamental levar em conta todos os seus sintomas para, no caso de suspeita, receber um diagnóstico o quanto antes e iniciar o tratamento.

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Psicologias do Brasil

Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.


COMENTÁRIOS