Por Natasha Hinde

Tomar bebida alcóolica de vez em quando, depois de um dia pesado no trabalho, não é necessariamente um sinal de dependência do álcool, no entanto, é possível que esse tipo de rotina vinculada à bebida se torne um problema.

Embora menos pessoas pareçam estar consumindo bebidas alcóolicas — sendo que os jovens estariam particularmente dispostos em reduzir o consumo —, ainda existem muitos indivíduos com 45 anos ou mais que ingerem grandes quantidades regularmente, segundo novas estatísticas da ONS (sigla em inglês para Escritório Nacional de Estatísticas) no Reino Unido.

O Serviço Nacional de Saúde (NHS, na sigla em inglês) estima que cerca de 1 em cada 10 homens no Reino Unido e 1 em cada 20 mulheres mostram sinais de dependência do álcool, de modo que não conseguem executar suas tarefas adequadamente sem a bebida.

Então, quais são os reveladores sinais de que o consumo de álcool está saindo fora de controle?

“Há várias perguntas que você deve fazer a si mesmo — ou talvez a um ente querido —caso ache que você ou outra pessoa tenha um problema com o álcool”, disse ao HuffPost Paul McLaren, psiquiatra consultor do Centro de Bem-Estar — Fenchurch Street, do Priory Group, em Londres.

“Uma boa maneira de começar é entender sua relação com o álcool. Tente evitar pensar sobre isso em termos de preto ou branco, como: ‘Tenho problemas com a bebida ou não?’, ‘sou alcoólatra?’ ou ‘sou fisicamente dependente?’.”

“O álcool tem o potencial de ser tóxico para qualquer pessoa que o consuma e pode ser tóxico para indivíduos diferentes de formas diferentes. Entender como sua personalidade, suas estratégias para lidar com o estresse e sua psicologia interagem com o álcool é tão importante quanto saber quantas unidades são recomendadas como seguras.”

McLaren disse que existem algumas perguntas que você deve fazer a si mesmo para melhorar sua percepção sobre o tipo de relação que tem com o álcool. Entre elas, estão:

:: Quão importante é beber para você?

:: Você prioriza beber em detrimento de outras atividades?

:: Beber influencia outras coisas que você faz no dia?

:: Beber determina como você viaja?

:: Influencia como você usa seu tempo livre e com quem você usa?

:: Você prioriza gastos com o álcool?

:: Você se prepara para ressacas?

Se as respostas a essas perguntas — sejam suas ou de um ente querido — forem positivas, então o álcool é importante para você e vale a pena parar para pensar sobre sua estratégia”, acrescenta o psiquiatra.

Aqui estão alguns sinais de alerta que podem significar que você ou um ente querido é dependente do álcool:

1. Você acha difícil se divertir ou relaxar sem tomar uma bebida.

2. Você consome regularmente mais de 14 unidades por semana. Isso é o equivalente a uma garrafa e meia de vinho de baixa graduação alcóolica (11% de álcool por volume, ou ABV na sigla em inglês) e de seis a oito latas de cerveja (dependendo do nível de álcool).

3. Você se preocupa onde vai tomar o próximo drinque e planeja eventos sociais, familiares e de trabalho em torno do álcool.

4. Você sente uma necessidade compulsiva de beber e tem dificuldade de parar depois que começa.

5. Você se levanta e sente necessidade de beber pela manhã.

6. Você normalmente se levanta sem conseguir se lembrar do que aconteceu na noite passada devido ao consumo excessivo de álcool.

7. Você tem sentimentos de ansiedade, depressão relacionada ao álcool e pensamentos suicidas.

8. Você sofre de sintomas físicos de abstinência tais como suor, tremor e náusea, que cessam quando você ingere álcool.

9. Outras pessoas demonstraram preocupação em relação ao seu consumo de álcool.

10. Você esconde seus hábitos de bebida de pessoas que se preocupam com você.

11. Você assume riscos, tais como dirigir acima ou perto do limite.

12. Você consome álcool no almoço e volta ao trabalho.

13. Você usa chiclete ou antisséptico bucal para esconder o cheiro do álcool.

Claire Rimmer, terapeuta de vícios do Priory Hospital em Altrincham, no condado de Cheshire, diz que pessoas que ainda conseguem administrar seu dia a dia e parecem estar funcionando normalmente também podem sofrer de alcoolismo.

“Você pode tentar avaliar se suas finanças ou capacidade de desempenhar as tarefas do dia a dia estão sendo afetadas pela quantidade de bebida ingerida”, acrescenta.

“Você ou um ente querido tenta se ‘automedicar’ com a bebida por causa de problemas em casa, sociais ou no ambiente de trabalho? Você mentiu sobre a quantidade que bebeu ou passou a esconder seus [hábitos] de bebida, por exemplo, ocultando garrafas ou latas?”.

Como obter ajuda

Existem várias dicas para lidar com os estágios iniciais da dependência das drogas.

Em primeiro lugar, Rimmer recomenda que as pessoas admitam que têm um problema e sejam honestas com seus amigos e família sobre o assunto.

Em seguida, assuma um compromisso de ou reduzir seu consumo de álcool ou parar completamente. “Estabeleça metas diárias para si mesmo”, aconselha Rimmer, “decida qual será seu limite de drinques e cumpra-o. Se seu objetivo é parar completamente de consumir álcool, estabeleça uma data realista para quando irá parar (…)”.

Também é importante evitar tentações e influências negativas, “aceitar que será difícil e se preparar para a mudança”.

Se você não acredita que tenha um problema de dependência, mas gostaria de reduzir o consumo de bebidas alcóolicas, a organização Drink Aware recomenda fazer mas atividades que não envolvam beber ou tentar outras maneiras de desconectar e relaxar.

Se ainda assim você quiser sair e beber: prefira drinques de baixo teor alcoólico, escolha medidas menores, evite rodadas de bebidas em eventos sociais e alterne bebidas alcóolicas com refrigerantes ou água.

Imagem de capa: Shutterstock/IVASHstudio

TEXTO ORIGINAL DE BRASILPOST

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.

COMENTÁRIOS