A marca emocional de nossos avós

“Entre todos os cantos do mundo, há sempre um alguém favorito. Não importa o quanto você mudar, o quanto viajar ou onde estiver, nunca é um mau momento para retornar. Você sabe bem quem são as pessoas mais especiais: são “as pessoas de casa”.

As pessoas de casa tem cheiro de amor e aceitação incondicional. Cheiram a carinho e a longos abraços, são lugar onde seus olhos se fecham e se esboça um sorriso.

(…)

Por isso, uma pessoa de casa é o melhor espelho para onde se olhar todos os dias: sempre reflete a versão mais real e autêntica de você. A mais bonita. É a luz no fim do túnel, o apoio durante o caminho e o ombro no qual podemos depositar nossas lágrimas.

São aqueles com o poder de reparar asas quebradas”

Os avós são pessoas de casa. Únicos, entranháveis e inesquecíveis. Estejam neste mundo, ou não mais, eles simbolizam o lugar ao qual poderemos sempre voltar para nos enroscarmos, mesmo que seja nas memórias.

Netos e avós representam esta união de gerações, esse papel que envolve olhares cúmplices e esse jogo permissivo e compreensivo que ambos desfrutam em qualquer fase da vida.

São nossas memórias, nossa complacência, nosso prazer e nossa ternura.

São histórias cheias de mudanças inesperadas, cabelos brancos que ondeiam ao vento, olhos que brilham com o sol, passeios tranquilos sentindo o calor de suas mãos, o caminhar sobre folhas secas, o ver a chuva da janela com um copão de chocolate quente em uma tarde fria de inverno.

Por tudo isso, os avós se tornaram nossos mais queridos amigos, aqueles que corriam lentamente pelas árvores para brincar de esconde e esconde, que nos demonstravam que o amor pode ser único e excepcional.

Aprofundar as raízes

O maior presente dos nossos avós são as raízes que nos deram e as asas para voar que nos teceram. Por isso nunca devemos nos esquecer de aprofundar e de manter presente o que constitui nossa fundação.

A relação com nossos avós será sempre única, mas também será uma das mais  afetuosas e profundas que experimentaremos em nossa vida. Sempre lembraremos dela por sua profundidade e por seu tratamento excepcional e genuíno.

Simbolizam um lugar onde aprendemos mais valores mesmo havendo menos regras, onde nos educaram com serenidade e maturidade, onde sentíamos o fruto de sua satisfação pela continuidade e onde aprendemos com temperança e paz.

Éramos companheiros com um objetivo comum: desfrutar uns dos outros como se não houvesse amanhã . Também dividíamos o inimigo: a intransigência de alguns pais, que tinham o dever de evitar um consentimento excessivo.

Isto é o que hoje e sempre ficará gravado como uma marca indelével em nossas memórias e em nosso coração, pois nós temos a marca emocional de nossos avós.

É uma das mais belas e enriquecedoras experiências que há, um tipo de sorte e magia incontrolável onde não importa a idade, onde é palpável a natureza efêmera da vida e onde podemos sentir o calor das memórias.

Nossos avós, nossos heróis do passado

“O essencial é indefinível.
Como definir o amarelo, o amor, a pátria, o sabor do café?
Como definir uma pessoa que amamos?
Não é possível”.
J. l. Borges.

São penas de nossas asas. Nossos avós são os heróis do passado que constituem o nosso presente; são os que nos deram a mão, os que aliviaram nossas feridas, os que evitaram a queda e que nos permitiram cair, pois sabiam que era a melhor forma de aprender.

São o sinônimo mais perfeito para calor e proximidade, mesmo que já possam estar bem longe; são a conexão à primeira vista de uma sintonia única e inquebrantável.

Eles lembram a casa e curativos que uma vez cobriram nossas feridas emocionais, este unguento que as curaram, uma voz que nos acalmou. Através deles conseguimos entender que os momentos mais insuportáveis são apenas isso, momentos.

Estejam ou não neste mundo, continue abraçando-os e ouvindo-os, entendendo-os e sendo fiel às suas raízes. A voz da experiência merece isso. Seja como for, graças aos seus avós sua infância e sua vida foram diferentes, mas, acima de tudo, únicas.

A maioria de nós teve o privilégio de conhecer nossos avós, compartilhar uma fase da vida com eles e aprender o valor do cuidado e respeito mútuo.

 Nunca os esqueça, mantenha-os vivos para sempre em seu coração. E, se agora for sua vez de ser avô, garanta que seus netos o reconheçam o dia de amanhã na ternura de um coração sorridente.

Imagem em destaque, cortesia de Claudia Tremblay

Fonte indicada: Melhor com saúde

Compartilhar
Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.



COMENTÁRIOS