A vida de um ansioso

Por MARIANA STAUDT

Nervosismo, expectativas, preocupações. Quem sofre de ansiedade não leva uma vida fácil. Os dias e as horas demoram a passar e, às vezes, seguem um ritmo diferente das outras pessoas. Apesar de ele mesmo não ser, seja paciente com o ansioso!

Não julgue um ansioso. Ele não faz por mal. E garanto: ele gostaria de viver a vida de acordo com o relógio que as outras pessoas vivem.

É normal ficar ansioso por uma viagem, por um show ou até por uma festa. O ansioso, porém, é aquele que mesmo quando nada está acontecendo, tudo pode estar desmoronando. E, sim, ele precisa daquela resposta agora para poder salvar o mundo.

Não deixe um ansioso esperando. Não diga a ele que você tem algo para contar, mas não pode ser agora. Não o deixe quase entrar em pânico ao observar aquele “escrevendo…” no Whatsapp e nada da resposta aparecer. Não peça para esperar sete dias úteis. Não se atrase. Ele com certeza começou a se arrumar uma hora antes do que precisava, justamente para não deixar ninguém esperando. O problema é que ele vai ficar pronto antes e vai ficar esperando. Não importa se forem 40 ou 10 minutos, será uma eternidade.

O ansioso já planeja a vida no primeiro dia do ano. “Tem um feriadão em maio. Bom para viajar. Vou precisar começar a organizar tudo logo.” Sim, ele acha que todos são iguais a ele e, portanto, não será fácil de achar vaga em hotel, nem assento disponível na janela do avião. É preciso correr! Ok, tudo pronto. Já sei até que roupa vou colocar. Só viajar. Mas espera… Vou ter que esperar todos esses meses ainda? Um verdadeiro horror!

O dia não tem apenas 24 horas quando um ansioso está esperando alguma coisa. E, às vezes, ele fica ansioso até sem ter algum evento programado, é só pelo esporte mesmo. Para o ansioso, a ansiedade é tipo um monstrinho que vai comendo seus órgãos internos um a um. Então, não julgue o ansioso. Ele só faz tudo isso, pois está ansioso para viver estes momentos com você!

FONTEObvious
Compartilhar
Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.



COMENTÁRIOS