Animação incrível mostra o que o estresse pode estar fazendo com o seu corpo

Correria, prazos, mil problemas para resolver, noites mal dormidas, cansaço, preocupações, almoços de 15 minutos e irritabilidade. Hoje em dia, é difícil não ser mordido pelo monstro do estresse. Mas ao mesmo tempo em que é tão comum, ele é mais perigoso do que podemos imaginar. Afinal, os efeitos do estresse não se restringem à mente.

Em uma animação criada pelo pessoal do TED, é mostrada de forma clara a influência do estresse no corpo e todas as complicações de saúde que ele pode causar. Embora o impulso do estresse possa melhorar o desempenho em determinada tarefa, a pressão contínua ou muito frequente é extremamente negativa para o organismo.

Isso acontece devido à produção do hormônio cortisol durante o estresse, que afeta o ritmo cardíaco, elevando a pressão arterial e modificando o funcionamento do revestimento arterial, provocando o entupimento dos vasos sanguíneos. Como tudo no corpo funciona em cadeia, esse quadro pode levar a ataques cardíacos ou AVCs e, consequentemente, à morte.

O estresse afeta ainda o funcionamento do sistema digestivo, provocando a síndrome do intestino irritável, além de facilitar o aparecimento de dores de estômago e suas complicações, as conhecidas gastrite e úlcera. Há ainda um desequilíbrio de apetite, que faz com que busquemos alimentos ricos em carboidrato e açúcar quando estamos irritados ou sob pressão. Com isso, aumenta-se o risco de sobrepeso e, por consequência, diabetes e problemas cardíacos.

Por fim, o estresse ainda afeta a reprodução celular, provoca uma queda de imunidade, facilita o aparecimento de acne, a queda de cabelo, disfunção sexual, provoca dores de cabeça, tensão muscular, dificuldade de concentração, cansaço e irritabilidade.

Quer mais algum motivo pra puxar o freio de mão e repensar a vida ou 3 parágrafos de sintomas são suficientes? Assista ao vídeo:

TEXTO ORIGINAL DE HYPENESS

 

Compartilhar
Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.



COMENTÁRIOS