Como podemos cuidar bem de outras pessoas que dependem de nós, sem deixar que a situação nos desgaste e consuma?

Você não sabe como, mas um dia seus pais não conseguem mais cuidar de si mesmos sozinhos. Aquelas pessoas que pareciam invencíveis ficaram idosas e você precisa começar a cuidar delas. De repente, você se vê assumindo responsabilidades que não queria e que pensava que nunca precisaria assumir.

Mas você os ama e eles deram tudo por você. Como não cuidar deles agora que mais precisam? Depois de todos os sacrifícios que eles fizeram para que você pudesse ter uma vida boa… A verdade é que você se sente cada vez mais nervoso e chateado por estar nessa situação. Será que você é um mau filho?

“Ajude seus semelhantes a carregar o peso deles, mas não se considere obrigado a carregá-los.”
-Pitágoras-

O estresse de cuidar bem de outras pessoas dependentes

Estar envolvido na tarefa de cuidar de uma pessoa que não consegue mais cuidar de si mesma sozinha pode significar um estresse considerável. Por um lado, estamos com um ser querido que já não é mais o que era antes. Vemos como vão surgindo problemas tanto de comportamento quanto de memória, além do enfraquecimento físico e mental.

Isso nos leva a vigiar constantemente essa pessoa, assim como a controlar sua alimentação e/ou sua higiene. Tudo isso pode ser desagradável para nós, o que pode nos levar a realizar essas tarefas com relutância.

O estresse não está apenas associado ao fato de cuidar bem de outras pessoas, mas também vai se espalhando por outras áreas da nossa vida. Assim, podem aparecer problemas profissionais, financeiros, conjugais ou familiares. Ocorre uma espécie de “efeito contágio” que faz com que os conflitos se instalem no nosso dia a dia.

As dificuldades de cuidar de alguém

O aumento do estresse pode acarretar problemas emocionais, sociais e físicos no cuidador.

É normal que apareçam emoções negativas como a ansiedade, a raiva ou a tristeza, além da culpa por sentir que a situação está fora do nosso controle ou pelo desejo de estar em outro lugar que não fosse cuidando dessa pessoa, o que se choca com a obrigação moral de cuidar dos nossos pais.

“O socorro na necessidade, embora seja pouco, ajuda muito.”
-Mateo Alemán-

Por outro lado, nossas relações sociais vão se minando, seja por falta de tempo para estar com outras pessoas ou por gerar conflitos pelo mal-estar que sentimos. Isso, por sua vez, pode provocar de novo o aparecimento de emoções negativas, estabelecendo, assim, um círculo de afeto negativo.

A nível físico, podem aparecer inúmeras doenças. Desde diferentes transtornos psicossomáticos (ou seja, doenças físicas causadas ou agravadas por fatores emocionais e psicológicos) até problemas relacionados a determinadas tarefas do cuidado da pessoa, como, por exemplo, ajudá-la a se movimentar.

O que pode nos ajudar a aliviar o peso de cuidar?

Hoje em dia há muitas pessoas que cuidam dos pais idosos. Por que nem todas passam pelos problemas psicológicos, sociais e físicos que vimos aqui? Porque os recursos e as situações de cada pessoa variam consideravelmente, assim como acontece com outros transtornos psicológicos.

As estratégias usadas para lidar com o estresse são muito importantes para nos protegermos desse desgaste. Porque o problema não está tão relacionado com o que acontece, mas com o que fazemos e como encaramos a situação. Nesse sentido, ficar ruminando e dando voltas na cabeça sobre o momento ruim pelo qual estamos passando ou tentar evitar essas situações não vai ajudar.

“Uma maravilhosa energia aparece quando se ajuda alguém.”
-Mary Lou Cook-

Pelo contrário, tentar encontrar a melhor opção e colocar em prática o que achamos que vai nos ajudar (ou seja, agir) sem temer o erro é muito benéfico. De fato, quem não comete erros? E quem nunca ouviu que é assim que se aprende?

Mas, independentemente de como a pessoa lida com a situação, não podemos nos esquecer de outra grande ajuda: o apoio social. Precisamos contar com fortes vínculos interpessoais, de maneira que outras pessoas nos ajudem com as mais variadas tarefas, nos compreendam, reconheçam nosso valor e queiram dividir conosco o peso de cuidar… Afinal, é preciso cuidar de si mesmo para poder cuidar bem de outras pessoas!

Imagem de capa: Shutterstock/Robert Kneschke

TEXTO ORIGINAL DE A MENTE É MARAVILHOSA

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.

COMENTÁRIOS