Por Patricia Guedes

A Terapia Comportamental-Dialética (DBT) se propõe a ser um tratamento que estimula pessoas a se aproximarem de vidas que consideram valiosas. Porém, para alcançar esse fim, e devido ao sofrimento intenso que essas pessoas sentem, o caminho costuma ser repleto de obstáculos, alternativas e dúvidas. Para que os desvios não impliquem em fracassos e o processo seja efetivo, é importante conhecer a base, ou seja, os princípios: a mudança, a aceitação e a dialética. Cada um desses três paradigmas deu origem a um conjunto de estratégias e técnicas, algumas ligadas a resolução de problemas (mudança), outras a validação (aceitação) e ainda, a improvisação/soluções criativas (dialética).

(Caso você tenha interesse em saber mais sobre o assunto, indico ler: Swenson, 2016). Referente às estratégias dialéticas, uma delas já foi apresentada pela minha colega Tamires Souza, através o artigo intitulado “Compondo a paleta de cores: O uso de metáforas e outros recursos criativos em DBT”. Inspirada pela dúvida de uma cliente minha nessa semana, procurarei explicar nos próximos parágrafo sobre uma outra estratégia dialética: dar voz à Mente Sábia.

Em um determinado momento da consulta, minha cliente questionou sobre como seria ouvir a Mente Sábia e se algum dia conseguiria tomar atitudes baseada nela e, mais do que isso, o que é essa Mente Sábia? Em DBT, costumamos falar sobre os estados da mente: A Mente Emocional, a Mente Racional e a Mente Sábia. Quando pensamos em uma pessoa que está com sua Mente Emocional ativada, pensamos em alguém cujos comportamentos e pensamentos estão sendo guiados por seu estado emocional, seu humor e seus impulsos. Por outro lado, estando com a Mente Racional acionada, a pessoa dá voz à lógica e ao que pode ser calculado, intelectualizado e racionalizado.

Estando em polos opostos, cada um desses dois estados da mente tem pontos úteis e outros que são tão enrijecidos que podem trazer prejuízos. Integrando os dois aspectos, surge a Mente Sábia, que busca justamente o equilíbrio e o caminho intermediário. Considerando as Estratégias Dialéticas, a Mente Sábia adiciona esse importante ponto do saber intuitivo ao processo. De alguma forma, é a habilidade de Consciência Plena (ou Mindfulness) sendo colocada em prática e em prova. Mente Sábia é a mente que sintetiza a observação, análise lógica, experiências e intuição. Devemos ensinar essa habilidade no treinamento de habilidades (em grupo ou individual) e na terapia individual. E, após treino, quando estamos (terapeuta e cliente) presos em algum dilema, podemos lançar mão desse conhecimento e questionar o cliente “o que sua mente sábia está dizendo para você fazer?”. E a partir dessa resposta, pode-se decidir como agir.

Ao ler os parágrafos anteriores, você leitor, pode ter acionado sua Mente Racional buscando um entendimento acerca do conteúdo, pode ter tido pensamentos como, por exemplo, “não serei capaz de fazer isso”, “isso é estranho”, e/ou pode ter sentido uma emoção, como uma leve ansiedade, entre outras possibilidades. Então que tal exercitarmos ouvir a nossa Mente Sábia? Podemos fazer essa tentativa agora mesmo? Inicialmente convido você a observar a sua respiração. Observe o ar que entra por sua via respiratória. Observe o ar que sai. Então, note todas as sensações quando você inspira. Siga sua respiração até encontrar o seu centro, o “fundo” da respiração.

Fique um pouco aí, no seu centro, com a sua atenção focada. Agora expire. Repita o processo algumas vezes. Respire normalmente. Agora lhe convido a inspirar enquanto diz para si mesmo a palavra “mente”, focando toda sua atenção nela. Após, quando você expirar, fale para si mesmo a palavra “sábia”. Por fim, um outro exercício pode ser útil para “ouvir a Mente Sábia”: inspire e questione se ações, pensamentos e/ou planejamentos que está prestes a fazer ou já fazendo advém da Mente Sábia e, ao expirar, ouça a resposta. Não diga para si mesmo a resposta, ouça-a. Faça esse exercício por algum tempo. Caso a resposta não apareça ou você sinta dificuldade de acessar a Mente Sábia, tente em outro momento. Esses e outros exercícios são alguns exemplos de práticas realizadas no Treino de Habilidades.

Ainda dentro do cenário da terapia, enquanto terapeutas também devemos fazer esse questionamento a nós mesmos: o que nossa Mente Sábia está nos dizendo? E caso nos esqueçamos de fazer esse exercício, nossa equipe de consultoria pode nos lembrar sobre esse importante aspecto. Extrapolando as questões ligadas ao processo terapêutico, ao tomarmos decisões em nossa vida, ao nos posicionarmos sobre algum aspecto ou ao fazermos avaliações, podemos parar por um instante e nos questionar “o que minha Mente Sábia está me dizendo?”.

 

Linehan, Marsha. DBT skills training manual. New York: The Guilford Press, 2015

Linehan, Marsha. DBT skills training handouts and worksheets. New York: The Guilford Press, 2015

SWENSON, Charles R. DBT principles in action: acceptance, change, and dialectics. New York: The Guilford Press, 2016

Imagem de capa: Shutterstock/Benjavisa Ruangvaree

TEXTO ORIGINAL DE COMPORTE-SE

Compartilhar

RECOMENDAMOS




Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.

COMENTÁRIOS