Por Yamila Papa

Embora não contem com uma definição determinada, todos nós falamos sobre elas. As habilidades sociais são o conjunto de condutas que nos ajudam a nos relacionarmos com os outros e que normalmente aprendemos através da imitação. Configuram nossa forma de ser diante dos outros e são manifestadas, por exemplo, na forma como nos desenvolvemos em uma reunião ou ao começar uma conversa com um desconhecido.

As habilidades sociais se encontram muito relacionadas com a psicologia e, por essa razão, podem ser atendidas em uma consulta com uma terapeuta.  Vale a pena como primeira medida saber bem o que são antes de determinar que não temos nenhuma. Não é preciso ser tão pessimista na vida!

Quais são as habilidades sociais?

As habilidades sociais foram estudadas e analisadas pela psicologia durante várias décadas. De fato, a primeira pesquisa a respeito data de 1949. Justamente por causa desses anos de pesquisa podemos classificar as habilidades sociais em diferentes grupos, que seriam configurados da seguinte maneira:

  • Primeiro grupo. Aqui se encontram as mais básicas como escutar, iniciar e manter uma conversa, agradecer, formular uma pergunta, se apresentar e apresentar uma pessoa, dialogar, ter empatia ou fazer um elogio.
  • Segundo grupo. Estão as habilidades sociais avançadas, como por exemplo dar e seguir instruções, pedir ajuda, se desculpar, participar, dar uma opinião e convencer os outros.
  • Terceiro grupo. São habilidades que estão relacionadas com o que sentimos, como conhecer e expressar sentimentos, compreender os sentimentos dos outros, expressar afeto, enfrentar a raiva dos outros, se auto-recompensar e resolver os medos.
  • Quarto grupo. Estão as que se identificam com o autocontrole, como pedir licença, ajudar, compartilhar, amar, negociar, ter autocontrole, responder às piadas, defender os próprios direitos, evitar problemas com terceiros e não brigar.
  • Quinto grupo. Neste último se encontram as habilidades que permitem enfrentar o estresse. Isto é, formular e responder a uma queixa, a vergonha, a persuasão, a acusação e ao fracasso, defender alguém, enfrentar uma mensagem contraditória, se preparar para uma conversa complicada e enfrentar as pressões.

 

A empatia e as habilidades sociais

Mais uma vez somos confrontados com uma palavra que talvez não usemos muito frequentemente, mas que experimentamos em todos os momentos. A empatia tem a ver com compreender o que o outro sente e agir em consequência. Ao contrário do que alguns pensam, não significa “tratar alguém como gostamos que tratem a nós mesmos” porque, felizmente, cada pessoa gosta de coisas diferentes.
Ser mais ou menos empático nem sempre depende de um ensinamento. Nem sequer de uma característica intrínseca que herdamos quando nascemos. Acredita-se que as mulheres são mais empáticas do que os homens, uma vez que precisam entender o que seus filhos querem quando são pequenos. Assim, parece que as mulheres contam com uma sensibilidade para o contato social mais desenvolvido porque para a seleção natural isso foi um fator importante.

Empatizar com uma ou vários pessoas é o primeiro passo para que o outro se sinta cômodo na interação. Se começa a ser mais empático, se dará melhor com as pessoas, será mais persuasivo, será ouvido, terá mais motivação e irá entender o que acontece com os outros.

Como desenvolver suas habilidades sociais?

Vamos deixar de lado a teoria para ir diretamente à prática. É a parte mais complicada, mas com a qual vale a pena praticar. As técnicas que você pode experimentar para ser hábil socialmente  são:

  • Prestar atenção ao tom de voz, postura, olhar e até mesmo os silêncios do interlocutor. Toda essa informação está a sua disposição. Vale a pena usá-las como ferramentas a seu favor.
  • Imagine o que motiva a outra pessoa para ser ou fazer algo. De que maneira você acha que seguiria adiante se tivesse um problema?
  • Consiga que a outra pessoa faça sua parte. Pergunte como ela está e deixe que lhe responda abertamente. Demonstre interesse nas suas palavras.
  • Não exponha conclusões. Evite frases como “seu problema é…” ou “você está errado em…” porque dessa maneira o outro irá se fechar ao achar que vai tomar um sermão seu.
  • Reformule suas palavras e frases para que o interlocutor se sinta compreendido. “Acho que essa situação é a que está condicionando seu estado de humor”, “acho que você realmente tem razão para se sentir cansado”, etc.
  • Coloque-se no lugar dos outros. Faça o esforço de sair da sua concha e tente pensar por um momento como a pessoa que está ao seu lado ou do outro lado da linha.

Se melhorar suas habilidades sociais logo irá notar como seus relacionamentos melhoram. Não irá demorar para apreciar como se tornam mais ricos e mais abundantes. Além disso, eles não apenas afetarão positivamente o seu círculo social e emocional, mas também serão de grande ajuda no mundo do trabalho!

Imagem de capa: Shutterstock/tetsuu

TEXTO ORIGINAL DE A MENTE É MARAVILHOSA

Compartilhar

RECOMENDAMOS




Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.

COMENTÁRIOS