Leymah Gbowee, a ativista liberiana que ajudou a dar fim à Segunda Guerra Civil da Libéria, discute a percepção do “eu fiz sozinho”, que torna a contemporaneidade um período de individualismo ilusório. Para Gbowee, Prêmio Nobel da Paz, a ideia de ter alcançado algo sozinho representa uma falta de pensamento crítico sobre as situações e sobre todas as pessoas que ajudaram, mesmo que indiretamente, o indivíduo a conquistar suas metas. Conferencista do Fronteiras do Pensamento 2013.

CONTEÚDO RETIRADO DE CONTIOUTRA

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Psicologias do Brasil

Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.


COMENTÁRIOS