O medo de ficarmos solteiros nos transforma em conformistas

Por Raquel Etérea

Os relacionamentos amorosos têm mudado. Agora não é mais tão importante formar uma família e ter filhos, e sim prestarmos mais atenção ao nosso bem-estar, tentando deter a inércia que pode nos levar a cumprir costumes do passado e não o que realmente queremos. Na verdade, muitas vezes também acontece o contrário, e pelo fato de fazermos o oposto do que é costumeiro, deixamos de fazer algo que desejamos.

Apesar da rebeldia contra o que é considerado retrógrado, ainda temos medo de ficarmos solteiros, um temor conhecido como anuptafobia. É um medo que costuma aparecer especialmente à medida que os anos vão passando, e que desaparece assim que temos um parceiro ao nosso lado.

É verdade que somos mais independentes e que os relacionamentos mudaram. As relações sexuais não implicam, necessariamente, que exista amor entre duas pessoas, e os filhos passam para o segundo plano, tanto que são muitas as mulheres que têm filhos entre os 30 e os 40 anos. Mas somos mesmo tão independentes e “liberais” como acreditamos que somos?

Meu objetivo é encontrar um parceiro

Você pode estar muito focado na sua vida profissional e pode ser que neste momento as relações não sejam uma preocupação séria para você. Mas quando chegar a hora, sobretudo quando nos aproximamos dos 30 anos, alguma coisa começa a nos inquietar por dentro. A necessidade de encontrar um parceiro aparece em muitas pessoas.

Se você está em uma situação assim, talvez não tenha feito ainda a pergunta “por que quero um parceiro?”. Talvez você se depare com respostas como: o quanto é possível amadurecer e crescer em uma relação, poder compartilhar o seu tempo com outra pessoa e se enriquecer com a presença dele ou ter um apoio estável para os bons e os maus momentos. Mas espere um pouco… você quer ter um parceiro ou estar em um relacionamento?

za1

Estas duas perguntas são muito importantes devido aos resultados diferentes que podem acarretar. Você pode querer estar em um relacionamento se tiver vontade de compartilhar sua vida com alguém que você gosta e experimentar tudo o que há de positivo em estar com a pessoa que ama e poder desfrutar juntos do tempo de vocês. Mas se o que você quer é ter um parceiro, seu objetivo é só o de modificar seu estado civil.

Você quer ter um parceiro porque não quer estar solteiro, mas esta não é uma opção justa. As pessoas que desejam fervorosamente ter um parceiro acabam se conformando com a primeira opção que aparece. Para elas o primordial não é se apaixonar, mas sair deste estado de solteirice que tanto as deixa angustiadas. O medo de ficarmos solteiros é real e provoca obsessões para sair dessa situação.

Certamente você já ouviu falar da dependência emocional. Neste tipo de problema, a pessoa se vê impossibilitada de viver se não tiver ninguém ao seu lado. O medo de ficarmos solteiros faz com que não consigamos ser independentes nem desfrutar da nossa própria solidão. Esta última nos assusta ainda mais, e nos transforma em pessoas conformistas no terreno das relações.

O medo de ficarmos solteiros nos torna infelizes

É possível que devido às suas experiências você tenha desenvolvido um certo medo da solidão, que a sua autoestima esteja muito baixa e que a confiança em si mesmo seja notável pela sua ausência. Mas desejar ter um parceiro para acalmar tudo isso não é mais do que tentar cobrir com um véu um problema com definição e solução distintas.

O medo de ficarmos solteiros nos torna infelizes e, na maioria das vezes, escapamos deste medo nos submetendo a relações tóxicas. No nosso interior, desejamos que a pessoa ideal chegue, mas como parece que isso é impossível, nos lançamos à aventura mais que uma vez, sem tentar estar com nós mesmos e desfrutar da nossa solidão.

Desta forma, evitamos pensar no que verdadeiramente está acontecendo conosco, no medo de ficarmos solteiros. Assim, muitas vezes camuflamos este medo para não o vermos, mas a verdade é que ele continua a nos aterrorizar. Ao seu redor você vai continuar observando casais felizes e você vai continuar desejando estar no lugar deles.

É difícil enfrentar os problemas que temos, mas também é importante evitar situações que não vão levá-lo a lado nenhum. Se você não sabe estar sozinho/a e por isso quer um parceiro custe o que custar, sem “poder evitar”, pare por um momento e pense na pergunta: “para que eu quero um parceiro?”. Não é tão difícil estar sozinho por um tempo e isso vai ajudá-lo a solucionar tudo o que está magoando você.

op1

Somente assim você vai conseguir encontrar, se for o caso, essa pessoa que vai encher sua vida de felicidade e alegria. Pode ser que ela apareça quando você menos esperar e sem ir atrás, ou talvez não, mas isso não deveria ser uma fonte de preocupação.

Primeiro concentre-se em você e aproveite o tempo que você tem para se dedicar. O medo de estar solteiro não é mais do que um medo social que se alimenta da necessidade de se relacionar, das redes sociais, de evitar o isolamento e de poder mudar nosso estado mental e social para “namorando”.

TEXTO ORIGINAL DE A MENTE É MARAVILHOSA

Compartilhar
Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.



COMENTÁRIOS