Psicologia e emagrecimento

Por Amanda Ribeiro

Atualmente muitas dietas e estratégias de emagrecimento são lançadas e arriscadas por grande parte do público que tem como objetivo perder peso. É muito comum se deparar com propagandas de fórmulas “milagrosas” que prometem emagrecimento no tempo desejado.

De outro lado, existem também, pessoas que buscam auxilio de profissionais competentes para auxiliar no processo de emagrecimento, como nutricionistas, educadores físicos, profissionais da estética, entre outros.

Mas, mesmo diante de dietas milagrosas ou acompanhamento de profissionais competentes, existe uma população que inicia a dieta, mantém durante uma ou duas semanas, depois começam a se sentir tomadas por um sentimento incontrolável, a vida começa a interferir, os horários já não beneficiam a dieta, começa-se a sentir emocionalmente estressado. E, logo, encontra vários motivos para encerrar a dieta.

Mesmo diante do ciclo problemático apresentado, o que pouco se observa é a inserção do profissional de psicologia no processo de emagrecimento. Você imagina o porquê de inserir o auxílio de um psicólogo no plano de emagrecimento? Pois bem, veja abaixo alguns aspectos em que o psicólogo pode contribuir:

  • Relação emocional com a comida: com o passar dos anos, devido às experiências vividas aprende-se a correlacionar alguns alimentos com o estado emocional, um grande exemplo é o chocolate que proporciona sensação de prazer e bem esta, logo, se alguém está triste ou desanimado tende a comer mais chocolate. Assim como, em estado de ansiedade algumas pessoas correlacionam a sensação de saciedade, que o alimento proporciona, com o alívio dos sintomas ansiosos. Em ambos os exemplos citados a estratégia de diminuir sentimentos desagradáveis com a alimentação não traz para o indivíduo a diminuição dessas emoções e consequentemente há o ganho de peso. O profissional de psicologia pode auxiliar no enfrentamento dessas emoções buscando novas estratégia, que sejam mais eficazes e que contribuam para o bem estar psíquico e para o emagrecimento.
  • Auxílio nas recaídas: É muito comum uma pessoa iniciar uma dieta ou academia e ter algumas recaídas, nesses momentos geralmente essas pessoas tendem a abandonar a dieta, tendo o pensamento de tudo ou nada, que é “Se não consigo seguir a dieta em 100% logo, não sirvo para fazer dietas” ou “Se não consigo seguir a dieta no final de semana então, não farei a dieta nenhum dia“. O profissional de psicologia ajuda a questionar e resignificar esses pensamentos, dando suporte para reiniciar a dieta e a atividade física sempre que houverem recaídas e trabalhando a ideia de que se houver recaída reinicie no próximo minuto.
  • Auxílio nas frustrações: em determinados casos algumas pessoas apresentam dificuldades de perder peso, mesmo fazendo dieta e atividade física, esse fato desencadeia sentimento de frustração e desânimo acarretados pelo pensamento de incapacidade e inadequação. O psicólogo auxilia no manejo desses sentimentos e pensamentos e principalmente no monitoramento do comportamento reduzindo a probabilidade dessa pessoa abandonar a dieta e a atividade física.
  • Definição de objetivos: geralmente os objetivos de emagrecimento estão vinculados aos objetivos passados pelos médicos, nutricionistas e educadores físicos, mas, muitas vezes as pessoas se esquecem de buscar seus objetivos, como vestir aquela roupa que não serve mais, se sentir confiante e atraente, se achar bonito (a) e até mesmo se sentir confortável em eventos sociais. O profissional de psicologia ajuda a refletir sobre esses objetivos e trabalha com o paciente a busca desses.

No geral, o psicólogo auxilia na motivação para praticar exercícios, ajuda a resistir alimentos que são “tentadores”, a lidar com sentimentos desagradáveis sem que seja necessário comer para que eles passem.

Para encerrar segue algumas dicas para te auxiliar na busca do emagrecimento:

  • Defina seus objetivos;
  • Tenha auxílio de um bom profissional para definir sua dieta;
  • Faça um registro de todos os alimentos que comeu no dia;
  • Modifique o seu ambiente de refeição, tornando-o mais calmo e organizado;
  • Alimente-se sentado;
  • Quando sentir vontade de comer algo se questione se trata de:

Fome: Você experimenta uma sensação de vazio no estômago que é frequentemente acompanhada de ruídos.

Sede: Você experimenta uma sensação de secura na boca que o impele a tomar líquido.

Desejo: Você quer comer porque está influenciado por outros estímulos (frequentemente ambientais) mesmo que tenha recém comido.

Desejo Incontrolável: Você sente uma urgência de comer um tipo específico de alimento, acompanhada de tensão e uma sensação desagradável na boca, na garganta ou no corpo;

  • Elogie-se toda vez que conseguir perder peso, mesmo que não seja a quantidade que você tem como objetivo;
  • Alimente-se devagar e conscientemente;
  • Encontre exercícios físicos que lhe proporcione prazer;
  • Quando tiver recaídas reinicie no próximo minuto.

Amanda Ribeiro- Psicóloga Clínica

Capturar

Terapeuta Cognitivo-Comportamental

amandaribeiro.psi@gmail.com
Compartilhar
Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.



COMENTÁRIOS