Uma garota de 8 anos conta sua história de abuso infantil realizado pelo próprio pai

 por C.A AYRES

O vídeo mostra uma realidade que poucos conhecem sobre uma criança que vive com a violência doméstica do pai e uma mãe que não sabia o que fazer. Após as autoridades a retirarem da família, ela foi separada de seu irmãozinho, adotada por uma família, que teve muitas dificuldades devido aos traumas da garota. Este curta, produzido por Nathanael Matanick, foi premiado e é compartilhado mundialmente para que as pessoas se inteirem da realidade do abuso infantil e tenham esperança no processo de adoção.

  • Esta é a realidade de muitas crianças nos orfanatos. Elas não sabem como lidar com a violência que sofreram, e como a mãe que estava totalmente infiltrada no círculo vicioso da violência também não estava habilitada para cuidar dos filhos, elas são retiradas das famílias para uma segunda chance de vida.

    Estatísticas assustadoras

    De acordo com a organização Children’s Rights, é sabido que em torno de quase 2 milhões de crianças ao redor do mundo sofrem abuso com a violência doméstica por ano. A situação explode geralmente quando a criança tem de 8 a 10 anos de idade. Cerca de 80% apresentam problemas psicológicos graves, e 15% transtornos mentais muito sérios.

     

    Grande parte vive em orfanatos após os direitos parentais terem sido totalmente proibidos devido ao abuso físico, psicológico e sexual. Geralmente aguardam anos para serem adotadas. Infelizmente, 10% das crianças crescem acima da idade de poder permanecer nestas instituições sem a chance de adoção e a grande maioria engrossa as estatísticas dos moradores de rua, saúde deficiente, desemprego ou prisão.

     

    Esperança

    No final do vídeo ela diz: “Eu sou capaz de ser amada. Sou digna de receber cuidado”.

    Todas as crianças o são. Sem exceção. Todos os adultos que têm um filho, tendo planejado-os ou não, têm a responsabilidade de cuidar, amar e respeitar uma criança.

    Precisamos compartilhar esse assunto para que nossos governantes promovam a melhoria do bem-estar e facilitem o processo de adoção de crianças a boas famílias que cuidarão delas com amor e respeito. É nosso futuro que está em nossas mãos, e uma vergonha deixar acontecer.

    Se você sofre com a violência doméstica, lembre-se que seus filhos são sua responsabilidade. Denuncie o agressor. Se você tem a capacidade de adotar uma criança e salvar mesmo que seja somente uma vida neste mundo, não deixe pra depois.

TEXTO ORIGINAL DE FAMÍLIA

Compartilhar
Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.



COMENTÁRIOS