Nossa saúde depende bastante de sabermos nutrir boas relações. É através de diálogos prazerosos, interações positivas, que construímos nossa autoestima e nos sentirmos relevantes na vida. Mas o site Power Of Positivity traz um alerta que não deve ser ignorado: Relacionamentos também podem de formas variadas, fazer que os envolvidos  adoeçam emocionalmente.

São sinais úteis para refletirmos se estamos em situações do tipo ou até mesmo para elaborarmos maneiras de não cairmos nelas, você confere abaixo nesta tradução adaptada.

“Como as pessoas te tratam é o karma delas, sua reação é o seu!” – Wayne Dyer

Quando entramos num relacionamento esperamos que seja bom para nossa vida. Temos a esperança de compartilhar coisas boas com a outra pessoa por muito tempo. Grande parte de nossa felicidade começa numa relação boa. E sabemos que seja um relacionamento de namoro ou amizade, para ser bom depende da frequência, profundidade e principalmente da qualidade da interação. É péssimo para nossas emoções se apegar a relações que são apenas trocas de farpas e ameaças.

Infelizmente, existem muitos relacionamentos por aí que são pouco saudáveis. Vejamos o divórcio, por exemplo. Embora as estatísticas variem de acordo com a fonte, cerca de metade dos casamentos terminam em divórcio ( a estatística real é talvez um pouco menor que a metade). De qualquer forma, é um evento com poder de danificar seriamente a saúde mental dos envolvidos. Mas um alerta importante! Não é apenas um divórcio que causa danos. O fim de uma amizade ou namoro pode fazer uma pessoa adoecer tanto quanto alguém que se divorciou. 

Durante um relacionamento pode ser muito difícil avaliar como nos sentimos. Na maior parte das vezes, nosso foco fica em duas áreas. 1. Curar o relacionamento ou 2. Pensar numa forma de sair dele. O grau de dano que um relacionamento causa à nossa saúde depende de algumas variáveis como:

–  Quanto tempo tem a relação.

–  Tipo de relação

–  Se ocorre alguma violência (  física ou a mais comum que é a mental).

–  Se houver crianças envolvidas ou grupos de pessoas ( como é comum em amizades, por exemplo)

– Se houver alguma caso de traição

–  etc

Dito isto, não se esqueça. Qualquer período em que nossa saúde mental está sofrendo já é muito longo! Principalmente se for por alguém que não merece nosso amor, carinho e tempo.

Aqui estão 5 sinais de que seu relacionamento pode ser péssimo para a sua saúde mental.

1. Ouvir continuamente que você está se vitimizando demais, fazendo muito drama ou sensível.

Ocasionalmente, é normal alguém tentar adivinhar nossos pensamentos. Afinal, somos humanos. O que passar a ser agressivo é quando alguém constantemente tentar avaliar nosso estado mental. Se isso acontece repetidamente, há uma boa chance de você está em processo de manipulação.

Há negação nessa fase de ambas as partes. Tanto quem manipula, quanto quem é manipulável. Aquele que causa o dano sempre nega a intenção “Eu não sabia que você se sentia assim…” Ou “Eu não queria…” Também é muito comum quem sofre a manipulação negar a intenção da outra pessoa, tentando buscar uma explicação que a sua própria razão aceite, mesmo que isto se perpetue.

2. A relação de vocês está baseada em quem consegue arranjar mais desculpas para continuarem juntos.

Se estamos dando ou aceitando desculpas demais, é melhor pararmos. Isso é muito difícil de fazer com alguém que gostamos muito. O problema de sempre inventar desculpas para continuar uma relação é duplo. 1. Permite que um erro continue sem qualquer consequência e vire um hábito destrutivo. 2. Inventar desculpas sobre o seu comportamento fará com que a pessoa que aceita, uma hora se sinta usada por ter sido compreensiva. Sentimento que pode repercutir negativamente em toda a vida dela.

Mas também precisamos observar as desculpas que damos para continuar uma relação, pois elas dizem algo sobre a qualidade do relacionamento: – Prefiro me contentar com essa relação do que enfrentar uma solidão. – Eu não quero ferir os sentimentos dele ( ou dela).

3. Você se nega o direito de pensar, agir ou sentir.

Se estivermos muito interessados em manter uma relação que funciona mal, é muito natural que deixemos de refletir sobre ele. Até chegamos a pensar que somos melhores pessoas por colocarmos o outro bem acima de nós mesmos.

Cenário comum principalmente para casais com filhos. Uma pessoa completamente desiludida com o casamento, continua na relação pelo “bem das crianças.” Também é usual que amizades não sejam interrompidas por serem de longa data. São diversos as relações infelizes aceitas por falta de alguma força para mudar.

4. Reações raivosas inesperadas, medo ou ansiedade quando precisa interagir.

Numa relação ruim por muito tempo, há um aumento das emoções negativas ao interagir com a outra pessoa. Uma sensação de medo que nunca se dissipa, apesar dos nossos esforços. É como se fôssemos machucados por tanto tempo, que mesmo interações mais amenas despertem sensações de angústia. A frequência e intensidade desses pensamentos e emoções costuma está ligada à gravidade e duração do tratamento inadequado. Isso prejudica muito nossa saúde mental.

5. Você tenta “consertar” a relação, mas já não sabe mais como.

Um relacionamento é feito a dois. Ambos precisam de disposição para dar e receber de tempos em tempos. Quando uma das partes não está disposta a ceder em nome de melhorar a relação, pouco pode ser feito. Se apesar do seu esforço para reconstruir, a pessoa: 1. Muda apenas por curto período de tempo. 2. Se recusa a mudar qualquer coisa que seja em seu comportamento. Você vai precisa lidar com o fato de que essa relação, seja de namoro ou de amizade, não tem como ser boa. Nada pode ser forçado. Podemos nos dedicar num relacionamento, mas somente se ambas as pessoas estiverem com a mesma motivação.

Não devemos tolerar um relacionamento constantemente negativo. Embora relutemos, é melhor cortar laços. Tanto para você, quanto para quem estiver envolvido.  Seja proativo em levar sua saúde mental a sério. Cuide-se para não viver uma vida cercada de relações que te tiram do chão e te deprimem.

*Não se esqueça, caso tenha se identificado com esse texto, procure um psicólogo. Uma boa psicoterapia sempre ajuda!

Texto traduzido e adaptado de Power of Positivity

Imagem de capa: Shutterstock, Por YAKOBCHUK VIACHESLAV

 

 

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.