Há dias em que podemos tudo, e há dias em que nada podemos. Há momentos na vida em que parece impossível seguir em frente. Nesses momentos, parece-nos que nossas reservas de energia e esperanças foram completamente esgotadas e que o menor passo parece uma tarefa titânica. No entanto, antes de finalmente jogar a toalha, você pode fazer um último esforço colocando a regra dos 40% em prática.

A barreira de 30 quilômetros nos mostra o valor da resistência psicológica

Aqueles que já correram uma maratona provavelmente conhecem “o muro de 30 quilômetros”. Na verdade, a maioria dos corredores para neste momento em sua primeira maratona e não pode ir mais longe. O padrão é repetido: tudo corre bem durante a corrida até que de repente o corredor é vencido por uma enorme fadiga. Neste ponto as pernas não respondem, ele sente que seu corpo pesa vários quilos a mais e a mente diz “chega!”.

Este fenômeno é devido ao fato de que nosso corpo tem uma reserva calórica de glicogênio que termina a aproximadamente 30 quilômetros da corrida. Então vem o treinamento psicológico, o poder da mente.

De fato, o muro de 30 quilômetros não é um fenômeno puramente físico. Quando o corredor começa a notar a fadiga muscular e pensa que não conseguirá terminar a corrida, ele experimenta uma enorme frustração, que diminui os níveis de dopamina, que o manteve motivado. Então é complicado chegar ao fim.

No entanto, quando o corredor consegue superar essa barreira, ele tem uma boa chance de terminar a maratona. Na vida cotidiana, também chegamos a certos pontos em que sentimos que temos diante de nós uma barreira intransponível, acreditamos que nossas forças nos abandonaram e que não conseguiremos avançar. Geralmente é apenas uma barreira psicológica.

A regra dos 40%

Newt Gingrich, um político americano, disse que “a perseverança é o trabalho duro que você faz depois do trabalho duro que já fez”. É uma ótima frase porque captura a essência da perseverança e da determinação. Nesse sentido, a regra dos 40% seguida pelo Selo da Marinha é interessante, eles são famosos pelo exigente treinamento físico que muitas vezes os leva ao limite. Segundo eles, somos capazes de suportar muito mais do que pensamos e podemos ir além do que propomos.

Para a MARINHA, quando nossa mente nos diz “é o suficiente”, na verdade só alcançamos 40% de nossa capacidade. Portanto, quando pensamos pela primeira vez em jogar a toalha, na verdade ainda podemos viajar ou fazer um esforço de 60% a mais.

É claro que não devemos levar essa porcentagem ao pé da letra, mas devemos ter em mente que muitas vezes, quando estamos prestes a abandonar tudo, não é por falta de energia, mas apenas por um bloqueio emocional. A regra dos 40% é uma ferramenta muito simples para redescobrir a motivação, mas também para reavaliar nossos limites, pois nos permite mudar a perspectiva e nos ensina que, se realmente quisermos superar nossas limitações, temos que dar um passo adiante.

Como aplicar a regra dos 40%?

O principal problema quando criamos uma barreira psicológica é que as frases positivas não são muito eficazes. Na verdade, às vezes elas podem ser completamente contraproducentes porque acabam nos sobrecarregando ou nos frustrando ainda mais. Quando sofremos um bloqueio emocional, é difícil escapar dele recorrendo à racionalidade. Portanto, temos apenas que ter certeza de que vamos passo a passo.

Não precisa nem ser um grande passo, tudo o que você deve fazer é não parar, como disse Confúcio: “Não importa quão lento você vai contanto que você não pare.” Se dermos um passo de cada vez, não nos assustaremos e nos daremos tempo para recuperar o autocontrole.

O segredo não é para se concentrar no objetivo final, você não precisa se lembrar quantos quilômetros da maratona ainda tem, apenas precisa se concentrar nos próximos passos. Assim, pouco a pouco, superaremos a barreira que nós mesmos criamos.

A certo ponto você descobrirá que a energia retorna e você retomará o ritmo. E quando você terminar essa corrida, quando você superar a adversidade, você ganhou grande confiança em si mesmo, o tipo de confiança que se ganha quando medimos a nossa força e sabemos que somos capazes de mais.

TEXTO TRADUZIDO E ADAPTADO DE RINCON DE LA PSICOLOGIA

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO PSICOLOGIAS DO BRASIL
Os assuntos mais importantes da área- e que estão em destaque no mundo- são a base do conteúdo desenvolvido especialmente para nossos leitores.