O bullying existe ao longo da história e também não é apenas um fenômeno exclusivo do pátio da escola. É encontrado em todas as culturas humanas ao redor do mundo e até foi observado entre os animais.

Os cientistas que estudam o bullying teorizam que isso faz parte da condição humana, um comportamento evolutivo usado para manter a ordem social. Segundo o antropólogo evolucionista Hogan Sherrow, os alvos do bullying costumam ser “indivíduos cujo comportamento desafia [ou] atrapalha” – indivíduos que “são considerados incomuns”. A intenção é fazer com que eles se conformem.

Mas, embora o assédio moral possa ter proporcionado uma vantagem evolutiva no passado, no mundo de hoje parece apenas causar danos. É perigoso, pode causar problemas duradouros de saúde mental e pode até ser mortal. Pesquisas sugerem uma forte ligação entre bullying e suicídio, que é a terceira principal causa de morte entre os jovens.

Hoje, a internet tornou o bullying ainda mais fácil. Aplicativos como o Yik Yak, que permite que mensagens anônimas sejam postadas, facilitam a disseminação do cyber bullying e do discurso de ódio, sem medo de consequências.

Embora a Internet tenha facilitado o bullying à distância, não precisa ser assim. A tecnologia é apenas uma ferramenta – e uma ferramenta que pode ser usada para fazer exatamente o oposto: pôr um fim ao bullying.

Uma VPN

Você sabe o que é VPN? Trata-se de um aplicativo que criptografa toda a informação transmitida de um aparelho para outro. Todos os sites que você visita, suas senhas, email e informações pessoais, assim como fotos, estão protegidos de hackers quando você acessa a internet através de uma rede privada virtual (VPN).

Muitas mulheres e até celebridades estão tendo as suas fotos pessoais hackeadas e divulgadas na internet. Um aplicativo VPN vai garantir que isto não aconteça com nenhuma pessoa novamente.

Sit With Us

Este aplicativo foi criado por uma jovem californiana de apenas 16 anos. Natalie Hampton teve a ideia de unir as pessoas na hora do almoço para que ninguém lanche sozinho por falta de companhia. Quando os estudantes geralmente excluídos estão juntos, fica mais difícil para o bully atuar.

STOPit

A função do aplicativo STOPit é redirecionar uma mensagem de um abusador para um parente ou adulto responsável. Além de reencaminhar as provas para um adulto de confiança, o aplicativo e site também notifica ao criminoso que a mensagem dele foi enviada à uma autoridade.

Muito útil pois ainda abre espaço para o diálogo entre os pais e responsáveis da criança ou jovem que está sofrendo esta situação.

Tigre Branco

Um aplicativo 100% brasileiro e feito pelas alunas Manoela Kieling, Laura Schuster e Julia Dapper de Porto Alegre. Surgiu como uma forma de combater o jogo russo Baleia Azul que estava levando muitos jovens à depressão.

Você pode descobrir este projeto baixando o aplicativo aqui.

Estes são apenas alguns dos aplicativos que existem no mercado, mas se sentir que o seu filho está sendo vítima de bullying, a primeira coisa a fazer é levá-lo a um psicólogo e contatar a autoridade responsável do colégio ou local em que tal situação ocorre.

Prevenir no ambiente escolar é um importante passo para encontrar novas atitudes das pessoas e conscientizá-las sobre o quão mal que uma ação impensada pode surtir efeito no alvo dessas práticas.

O bullying sempre existiu, mas foi apenas nos últimos anos que aprendemos o quão prejudicial é. Além do dano físico, as crianças vítimas de bullying sofrem de distúrbios alimentares e do sono, diminuição do desempenho acadêmico e depressão. E isso resultou no desenvolvimento de vários tipos de ferramentas para combater o bullying. A tecnologia pode e precisa ser utilizada para o bem comum.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.