Sábio não é aquele que acumula muitos conhecimentos, mas quem sabe como usar efetivamente tudo que aprendeu e, além disso, é capaz de ignorar com inteligência tudo o que não é útil, que não permite que você cresça como pessoa. Sábio é aquele que sabe diferenciar o caminho que lhe oferece progresso. Porque viver bem é, afinal, saber investir na sua felicidade.

Agora, parece que a maioria de nós não aplica essa regra simples. De acordo com um estudo da Universidade de Harvard, as pessoas têm uma incrível capacidade de concentrar a atenção em “coisas que não estão acontecendo”. Nós nos preocupamos com aspectos que não são importantes e que minam nossa capacidade de sermos felizes no “aqui e agora”.

A regra primordial da vida nos diz que a pessoa mais sábia é aquela que sabe ser capaz de eliminar tudo o que o fere ou que não é útil em sua existência.

A arte de saber ignorar com inteligência não é fácil de aplicar no nosso dia a dia. É porque ignorar supõe, em muitos casos, fugir de certas situações e até de algumas pessoas. É um ato de coragem autêntica, sempre precedida de reflexão. Nós convidamos você a refletir sobre neste artigo.


Ignorar com inteligência é aprender a ter prioridades

Ser feliz é a arte da escolha pessoal. Podemos ter sorte em um determinado momento, mas a maior parte do tempo dependerá de nós mesmos: das decisões que tomamos. Para isso, é necessário adquirir uma perspectiva não apenas mais positiva das coisas, mas também mais realista, onde o autoconhecimento e a autoestima sempre serão fundamentais.

Como aprender a definir prioridades

Para aprender a estabelecer prioridades, é necessário dar cada coisa que nos rodeia um valor autêntico. Não aquele que se pode tirar de um objetivo, mas aquele que se acumula de acordo com nossas necessidades e desejos.

Para conseguir isso, devemos abordar essas dimensões:

Se é difícil para nós escolher entre o que é importante e o que não é, é porque temos um conflito interno entre as coisas que queremos e aquelas que conhecemos que nos convêm. Temos medo de “ficar mal”, “magoar” ou até agir de maneira diferente do que os outros esperam se nos atrevermos a romper os laços.

Quanto maior o nível de estresse e ansiedade, mais nos custará estabelecer prioridades. Então, reflita sobre quais situações e o que as pessoas têm valor real para você em momentos de calma pessoal, quando se sentir mais focado e relaxado.

Pense no que é importante para você e não para os outros, não tenha medo das críticas de outras pessoas ou do que elas possam pensar por causa das decisões que você quer tomar.

Entenda que priorizar não é apenas ignorar com inteligência o que nos fere, é reorganizar nossa vida e encontrar nossos próprios espaços para sermos felizes.

Ignorar algumas pessoas também pode ser saudável

De acordo com um trabalho interessante publicado na revista Livesciencie, as relações pessoais que nos causam estresse ou sofrimento afetam nossa saúde cerebral. Nós experimentamos um aumento no cortisol e na pressão sanguínea, a ponto de poder desenvolver graves problemas cardíacos. Ou seja, não vale a pena mesmo manter relações ruins.

Aprenda a ignorar aqueles que não contribuem com nada

  • Não é sobre tratar mal ou usar de chantagem. Ignorar com inteligência é uma arte que pode ser executada com elegância e sem atingir extremos desnecessários. Para fazer isso, tenha em mente esses pontos nos quais refletir.
  • Não se preocupe com o que você não pode mudar: aceite que o membro da família continuará tendo essa atitude fechada, que o seu colega de trabalho será igualmente intrusivo. Pare de acumular emoções negativas como raiva ou frustração e simplesmente aceite-as como elas são.
  • Ignore as críticas de outras pessoas enquanto aumenta sua própria confiança. É muito possível que, no momento em que você decide afastar os que não estão sendo relevantes, surjam reprovações. Entenda que a crítica não define você, não é você. Fortaleça sua autoestima e saboreie cada passo que você dá para se afastar daqueles que o prejudicam. É um triunfo pessoal.
  • Quando a ajuda é um ato interesseiro: é importante aprender a discriminar os atos generosos de supostos altruísmo. Há quem repita que “faço tudo por você, para mim você é a coisa mais importante”, quando na realidade o equilíbrio desse relacionamento sempre se inclina para um lado que não é o seu. Nunca há equilíbrio.
  • Quanto mais leve, melhor. Na vida, vale a pena ter “pessoas” e não acumular “pessoas”. Então, priorize e avance levemente. Afaste-se de pessoas que, longe de merecerem apenas a alegria, valem tristezas e distâncias.

Capa: Anastasiya Lobanovskaya from Pexels

Este texto é uma tradução adaptada de El arte de ser sabio consiste en ignorar con inteligencia escrito por Valeria Sabater para La Mente Es Maravillosa

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO PSICOLOGIAS DO BRASIL
Os assuntos mais importantes da área- e que estão em destaque no mundo- são a base do conteúdo desenvolvido especialmente para nossos leitores.