Por Dian Tinio para o Thought Catalog

“Se você realmente ama alguém, mesmo que houvesse um milhão de razões para ir, você ainda procuraria a única razão para ficar.” Mentira. Talvez se você realmente ama alguém como você diz, quando você encontrar um milhão de razões para ir, você realmente terá a graça de ir embora em sinal de gentileza e humildade.

Pois nada é bonito e saudável em um relacionamento que não faz nada além de machucar e danificar um ao outro, pois o amor deveria ser a única coisa no mundo que não deveria doer.

E talvez os relacionamentos não devam ser tão difíceis.

Não será perfeito também. Haverá provações e mal-entendidos, mas não chegará a um ponto em que destrua mais do que constrói. Talvez as relações, ao contrário das mentiras que nos fazem acreditar, não são uma série de discussões e gritos, nem um ciclo de separação e de compensação.

Talvez se você estiver realmente destinado a ficar junto com essa pessoa, o amor não será uma tarefa tão difícil de manter. Deve ser mais fácil. Não significa que será confortável o tempo todo, mas certamente não será desgastante. Porque o relacionamento deve estar se edificando em amor e encorajamento. É preciso permitir que o outro floresça em seu melhor estado possível. Deixá-los voar e ser quem eles querem ser, apoiando-os, sabendo que a luta é existente, mas não é a peça central do relacionamento.

Então, talvez, quando dói demais, e a luta é constante, e a quebra já é evidente, talvez seja hora de partir, independentemente dos anos e das memórias – parta, porque eles não são os únicos para você.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO PSICOLOGIAS DO BRASIL
Os assuntos mais importantes da área- e que estão em destaque no mundo- são a base do conteúdo desenvolvido especialmente para nossos leitores.