O britânico Krtin Nithiyanandam, estudante da cidade de Epsom, Surrey, tem apenas 15 anos, mas já conseguiu criar um teste que consegue identificar a presença do Alzheimer no cérebro até 10 anos antes dos primeiros sintomas aparecerem.

O jovem criou um anticorpo que, ao ser injetado no sangue, funciona como cavalo de Tróia, que vai penetrando no cérebro e ligando-as às proteínas neurotóxicas que compõem o primeiro estágio da doença.

O grande trunfo é que esses anticorpos trazem consigo partículas fluorescentes, tornando possível enxergar a presença das proteínas ligadas ao Alzheimer mediante uma ressonância magnética. O mesmo estudo também traz uma alternativa terapêutica, já que o anticorpo tem a capacidade de combater a doença.

“As principais vantagens do meu teste estão relacionadas à possibilidade de ele ser usado para diagnosticar a doença de Alzheimer antes de os sintomas se manifestarem, focando-se nas mudanças patofisiológicas, algumas das quais podem ocorrer uma década antes dos sintomas”, afirmou Nithiyanandam ao Telegraph.

O projeto está concorrendo ao Google Science Fair Prize, um concurso mundial voltado a adolescentes de até 18 anos que desenvolvem projetos científicos inovadores.

90 países participam. O estudante Krtin Nithiyanandam é um dos finalistas e, se ganhar, receberá uma bolsa de estudos para dar continuidade ao teste.

Post originalmente publicado no Só Notícias Boas, via Razões para Acreditar.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO PSICOLOGIAS DO BRASIL
Os assuntos mais importantes da área- e que estão em destaque no mundo- são a base do conteúdo desenvolvido especialmente para nossos leitores.