Cada coisa tem seu momento e cada momento, por sua vez, abre a porta para uma nova oportunidade, aquela que temos que saber ver e não deixar escapar só porque os outros não gostam disso. Porque a felicidade é, afinal, um ato de coragem e responsabilidade que também exige que entendamos que, às vezes, o que a princípio parece ser um problema também pode ser uma oportunidade.

Albert Einsten costumava dizer que entre as dificuldades estão as melhores oportunidades. Agora, também sabemos que não é fácil aplicar essa abordagem otimista. Medo, insegurança ou mesmo pressão do nosso entorno nos fazem acreditar que ainda não é nossa hora, que devemos esperar um pouco mais em nossa zona de conforto “segura e silenciosa”.

Atualmente, a sociedade e até mesmo muitas de nossas instituições estão passando por um período complexo de crise. Talvez esse momento fosse inevitável, não sabemos, mas o que não deve ser inevitável é a nossa rendição, nossa depressão. Muitas vezes é dito que a vida nos envia dons embrulhados em problemas. Então, a única coisa que devemos fazer é ousar remover os problemas que o revestimento escuro e descobrir que oportunidade nos oferece.

A oportunidade real e como percebemos a realidade

Para muitos, nunca é o melhor momento para quase nada. Eles adiam tantas coisas que adiam até mesmo sua felicidade para o dia em que conseguem isso ou aquilo. Agora, devemos ter em mente que aqueles que adiam demais deixam de viver o presente, porque a felicidade não é programada em uma agenda. A felicidade é criada, intuída, sentida.

A maneira pela qual percebemos a realidade é, portanto, um fator determinante. Alguns se concentram apenas nos problemas até que caiam no poço da vitimização, onde a escuridão nunca lhes permitirá ver qualquer saída. Outros, por outro lado, exercitam o músculo da responsabilidade e coragem e são capazes de ver nos mesmos problemas oportunidades reais.

A resposta para por que algumas pessoas se fecham para oportunidades está, como sempre, naquele resíduo genético tão latente em nosso cérebro: o medo. É esse instinto que nos sussurra que é melhor não correr riscos, que é melhor deixar as coisas como estão, que é melhor não arriscar. No entanto, devemos ter em mente que antes de cada oportunidade perdida, antes de cada momento não aproveitado, aparece outra dimensão avassaladora a ser levada em conta: a frustração.

Como aprender a ver oportunidades

Hoje, em qualquer biblioteca especializada, encontramos vários manuais que explicam como transformar oportunidades de crise em nossas melhores oportunidades. É comum tomar Steve Jobs como exemplo e, em particular, o desafio de ter que enfrentar sua demissão da Apple. Longe de desistir, longe de se tornar uma vítima, ele criou, por exemplo, aquele gigante da animação chamado Pixar.

“O fracasso é uma grande oportunidade para começar de novo com mais inteligência. ” -Henry Ford-

Por outro lado, muitos de nós, e sem atingir o mesmo nível que Steve Jobs alcançou, também enfrentamos algumas dificuldades neste momento. Portanto, temos certeza de que as estratégias que descrevemos abaixo podem ajudá-lo, pelo menos, a refletir sobre elas e levá-las em consideração.

Chaves para saber intuir suas oportunidades

Já sabemos que nosso principal inimigo, o mais cotidiano, é o medo. É, então, o momento de tomar as rédeas de nossa saúde emocional e entender que a vida, a felicidade, acontece além da linha do medo. Apenas um passo além da zona de conforto. Temos que perceber que um problema não está nas “circunstâncias externas”, mas em nossa mente. Tente ver isso como uma oportunidade de aprendizado e não como algo além do seu controle.

Outra maneira de abordar as dificuldades é deixar de vê-las como “ilhas”, onde podemos permanecer isolados e envolvidos na névoa da depressão. Entenda que um problema nada mais é do que um PROCESSO. Se somos demitidos do trabalho, não deve ser o fim do mundo, mas a oportunidade de fazer uma mudança, para iniciar uma nova dinâmica.

Há momentos complexos para os quais não há solução. Se não estamos felizes com o nosso parceiro, por exemplo, estamos diante de uma dificuldade para a qual não há remédio, mas um fim: adeus. Estamos, portanto, diante de um novo processo com um começo e um fim que abre as portas para um novo ciclo de vida e, portanto, para uma nova oportunidade de ser feliz.

Mas desta vez, na solidão. Para concluir, é muito possível que nossas melhores oportunidades estejam acontecendo agora e neste momento. Devemos apenas nos permitir ser um pouco mais corajoso e deixar-se levar pela coragem. Porque lembre-se, não há nada mais caro do que uma oportunidade perdida.

TEXTO ORIGINAL DE LA MENTE ES MARAVILLOSA

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO PSICOLOGIAS DO BRASIL
Os assuntos mais importantes da área- e que estão em destaque no mundo- são a base do conteúdo desenvolvido especialmente para nossos leitores.