As crianças podem se tornar muito cruéis, especialmente quando zombam de outras crianças. Muitas se comportam dessa maneira porque não desenvolveram plenamente a capacidade de se colocar no lugar do outro. Na verdade, as crianças nascem exigentes, exigindo cuidados, só depois desenvolvem o que é conhecido como “Teoria da Mente” e são capazes de desenvolver a empatia. Claro, isso também depende da educação recebida.

Em qualquer caso, é sempre conveniente preparar o seu filho para enfrentar o ridículo sem ter que recorrer à violência. Desta forma, você o ajudará a criar uma espécie de escudo emocional para proteger a autoestima. Este é um presente inestimável para a vida.

A humilhação dói e muito

Um estudo recentemente conduzido por pesquisadores da Universidade de Amsterdã revelou que as feridas causadas pela humilhação são muito mais profundas do que pensávamos. Nesta pesquisa, publicada na revista Social Neuroscience, os cientistas examinaram o cérebro das pessoas enquanto experimentavam diferentes emoções.

Para gerar esses estados emocionais, eles leram histórias diferentes e pediram que tentassem se colocar no lugar do protagonista. Assim, foi visto que a humilhação desencadeou uma reação no nível do cérebro muito mais intensa do que alegria e até da raiva.

No estudo também foi demonstrado que a humilhação ativa áreas do cérebro relacionadas à dor. Portanto, esses pesquisadores advertem que a humilhação não é apenas uma sensação muito negativa, mas é até percebida como uma dor no cérebro. Portanto, suas consequências podem ser arrastadas para a idade adulta, dando origem a uma pessoa insegura ou, ao contrário, a alguém que responde agressivamente.

Como os pais podem ajudar seu filho?

Investigue o que está acontecendo

Para ajudar seu filho, você deve primeiro entender o que está acontecendo. Por que as provocações são produzidas? Onde normalmente ocorrem? Como a criança reagiu? Trata-se de entender se, de alguma forma, o seu filho pode estar provocando o escárnio e se estes são pontuais ou se tornaram regulares, caso em que estaríamos falando de bullying.

Ensine as crianças a enfrentar provocações

Ignorando o escárnio pode fazê-lo desaparecer

Explique ao seu filho que quando as crianças percebem que suas piadas têm um efeito, porque elas provocam raiva ou constrangimento, elas se tornam encorajadas. Por esse motivo, a melhor estratégia tende a ser ignorar as piadas. Ao zombar dos outros, o que crianças procuram é se divertir, quando elas percebem que não alcançam seu objetivo, desistem. Lembre ao seu filho que “palavras tolas, ouvidos surdos”.

Ensine a responder rapidamente

Em alguns casos, uma resposta rápida e engenhosa desarma o zombador. No entanto, você deve deixar claro para o seu filho que não é uma questão de responder com outra zombaria ou violência, mas de uma maneira que confunde o outro e faz com que ele veja que sua piada não fez nada. Por exemplo, se alguém ri do tamanho de suas orelhas, pode dizer algo como “Eu posso ouvir melhor”. Dessa maneira, a outra criança entenderá que o jogo não será seguido.

Mostre seu lado mais simpático

Às vezes, os pais não reagem bem quando seus filhos dizem que alguém está zombando deles. Alguns, em vez de apoiá-los e mostrar empatia, são rotulados como “covardes”, “chorões” ou “mimados”. No entanto, a melhor estratégia é transmitir amor e ser compreensivo. Por exemplo, você pode dizer a criança sobre o tempo que eles zombaram de você e explicar como você se sentiu.

Encoraje amizades positivas

Para evitar que a provocação fira sua autoestima, incentive as amizades positivas de seu filho. Permita que ele passe tempo com seus amigos e se divirta. Quando as crianças têm um círculo de amigos, elas geralmente se sentem mais seguras e as outras crianças pensam duas vezes antes de zombar delas.

Este texto é uma tradução adaptada da produção de Jeniffer Delgado para o Etapa Infantil

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.