A desigualdade social da nossa realidade brasileira é perceptível. Qualquer pessoas que atravesse os bairros de uma cidade irá se deparar com cenas de riqueza concorrendo com infinitas cenas de miséria. Não é desligado disso que a fome é um tema recorrente em nossos grandes filmes e produções culturais. E mais cedo ou mais tarde este cenário chega aos olhos de nossas crianças.

Adrielly sensibilizada com o fato de pessoas em situação de rua não terem o que comer, pediu aos pais que na sua festa de aniversário de oito anos, ela pudesse comemorar doando marmitas aos desabrigados. Os pais acharam a priori que ela estava falando por falar, mas com a insistência viram que era sério e realizaram o desejo da menina.

A pedagoga espanhola Roser Batlle se dedica há vários anos a desenvolver a tese de que é preciso olhar para as crianças como cidadãos do presente, não do futuro. E que elas são capazes de nos apontar alternativas para mudar a realidade. A pedagoga pede que olhemos os pequenos como seres ativos no agora, que podem fazer muito pelo futuro, mas também pelo momento.

Os pais de Adrielly ao escutarem o desejo dela exercitam o diálogo e dão abertura para que a menina reaja à realidade. Claro, isso tudo precisa ser feito com cuidado e segurança, mas sem podá-la e agir e reagir diante do mundo.

Com informações de Razões para Acreditar

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO PSICOLOGIAS DO BRASIL
Os assuntos mais importantes da área- e que estão em destaque no mundo- são a base do conteúdo desenvolvido especialmente para nossos leitores.