Nos estágios iniciais de nossa vida, é natural que dependamos de outras pessoas, sejam nossos pais ou cuidadores, dependendo das circunstâncias. Mas chega um momento em que é necessário parar de se apegar a esses vínculos, aprender a ser mais independente e nem sempre ser condicionado pelo cuidado dos outros. No artigo a seguir, vamos rever uma lista de dicas para aprender a funcionar de forma mais autônoma em nossas vidas diárias.

Pare de ser dependente dos outros

Pessoas independentes não são solitárias ou amargas; Na verdade, elas podem se relacionar corretamente com o grupo de colegas quando for necessário. O que realmente caracteriza essas pessoas é que elas não dependem totalmente de outras pessoas para cumprir os objetivos que definem, não se importam em fazer atividades individuais, mas não procuram se isolar voluntariamente.

Além disso, destacam-se pela autoconfiança que possuem em suas habilidades fundamentais para viver de forma independente, e entendem que a ajuda de outras pessoas nem sempre é necessária para realizar um projeto.

No entanto, pessoas independentes também são capazes de detectar quando precisam de ajuda em certos aspectos específicos, e não têm problema em pedir por isso. Eles entendem que não podem cobrir toda a carga de trabalho de algumas situações sozinhos e sabem delegar funções.

Como ser mais independente?
Abaixo, vamos rever algumas dicas úteis sobre como se tornar uma pessoa mais independente na vida.

1. Capacidade de auto-aceitação

É necessário nos entendermos de maneira mais objetiva. Ou seja, devemos ter clareza sobre nossos pontos fortes e quais são nossos pontos de melhoria. Esse reconhecimento nos ajudará a entender melhor em quais áreas podemos nos dar bem sozinho, e em quais outras áreas seria bom ter ajuda ou delegar funções para outras pessoas com um melhor conhecimento da área.

2. Auto-motivação

Quando começamos a desenvolver a auto-motivação, estamos ganhando tudo para nos tornarmos mais independentes no futuro. A capacidade de auto-motivação é o que nos torna pessoas mais seguras. Quando aprendemos a nos motivar sozinhos, não precisamos que um grupo de pessoas nos diga que somos bons em alguma coisa, porque já identificamos nossas forças e nossas fraquezas e sabemos de que coisas podemos ser capazes.

3. Respeito pelas opiniões dos outros

O sujeito independente não acredita que ele possua a razão absoluta em todos os tópicos que conhece. Pelo contrário, está sempre disposto a expandir seu conhecimento ouvindo ativamente outras pessoas, mesmo que não compartilhe seus pontos de vista. Quando somos independentes, não permitimos que as pessoas nos determinem com suas opiniões, porque isso significa dar ao outro muito controle sobre nós.

4. Reconhecimento de emoções

Independência significa ser capaz de se relacionar com os outros sem se tornar dependente deles. Na medida em que conseguimos reconhecer nossas próprias emoções, bem como as dos outros, nos tornamos menos propensos a gerar ligações afetivas que podem nos complicar em diferentes áreas da vida. Para reconhecer as emoções adequadamente, devemos nos fazer as perguntas certas: o que exatamente eu sinto?

O que motiva essa emoção? Vale a pena incentivar esse sentimento? Em relação às emoções dos outros, é bom levar em conta o comportamento dos outros. Muitas vezes pensamos que as emoções estão sujeitas às palavras que os outros nos dizem, mas a realidade é que os fatos são mais significativos.

5. Aceite que as coisas nem sempre acabam como gostaríamos

Se pudermos estar conscientes de que as coisas nem sempre vão funcionar como planejamos, nos tornaremos mais tolerantes à frustração e menos dependentes de resultados imediatos, o que nos permite concentrar-nos mais em resultados a longo prazo. Ocasionalmente ocorrem circunstâncias que estão além do nosso controle, e não vale a pena perder a calma por isso; basta tocar em aceitar esse fato e encontrar a melhor maneira de lidar com ele.

6. Consistência entre pensamento e ação

Outra das dicas mais úteis sobre como ser mais independente é cultivar a autoconfiança, como vimos anteriormente. Mas não basta apenas acreditar que você é bom em alguma coisa, você deve ser capaz de provar isso. Evite cair em supervalorização pessoal.

7. Verificação de fontes

Algumas pessoas ficam com o que os outros dizem como algo verdadeiro, como uma verdade irrefutável, enquanto o sujeito independente prefere corroborar essa informação por si mesmo e é capaz de pesquisar em várias fontes por conta própria para ter uma visão melhor dos fatos.

8. Aprenda a realizar tarefas domésticas

Ser independente significa estar em todas as áreas básicas da vida, não apenas em áreas muito específicas. Portanto, é importante investir tempo e esforço em aprender a fazer o básico para viver sozinho: cozinhar, lavar e passar roupas, administrar a economia doméstica, etc.

Referências bibliográficas:

Kawamoto, T. (2026). “Mudança de Personalidade das Experiências de Vida: Efeito de Moderação da Segurança de Anexos.”
Pesquisa psicológica japonesa, vol. 58 (2). pp. 218-231.Strack, S. (2005). Manual de Personologia e Psicopatologia. Wiley

Texto traduzido de Psicología y Mente

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


Compartilhar

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




REDAÇÃO PSICOLOGIAS DO BRASIL
Os assuntos mais importantes da área- e que estão em destaque no mundo- são a base do conteúdo desenvolvido especialmente para nossos leitores.