Os jogos de azar, pelas emoções que despertam, implicam sempre o risco de vício para uma porcentagem dos jogadores. A sensação de estar ganhando uma fortuna e/ou de estar em controlo de alguma coisa cria em alguns jogadores a necessidade de continuar arriscando. Esse é um dos principais argumentos apresentados por todos que são contra a liberação dos jogos de azar aqui no Brasil.

Com as celebridades – as verdadeiras celebridades, com grandes fortunas acumuladas, e não as celebridades que passam em programas de televisão e saem de lá tão pobres como entraram – o vício no jogo pode surgir bem mais rápido, por três razões:

– começar a jogar é simples, pois há muito dinheiro disponível;

– se tiver muitas perdas, a celebridade não vai se incomodar muito, pois afinal há sempre a ideia que tem sempre mais dinheiro no  banco;

– o próprio cassino estará mais relaxado quanto ao cumprimento de regras para impedir jogadores viciados de continuar jogando, sabendo que a fortuna dá à celebridade um limite bem maior que o habitual.

Confira, de acordo com o site Ranker, celebridades que revelaram problemas de adição em jogos de azar.

– Nelly (músico)

– Ben Affleck (ator e diretor)

– Shannon Elizabeth (atriz)

– Michael Phelps (esportista, natação)

– Charles Barkley (esportista, basquete)

– Charlie Sheen (ator)

– Gladys Knight (cantora e atriz)

– Tobey Maguire (ator)

– Ray Romano (ator)

– Matt Damon (ator)

– Michael Jordan (esportista, basquete)

– Brad Garrett (ator)

– Pamela Anderson (atriz)

– Allen Iverson (basquete)

– Phil Mickelson (esportista, golf)

Note que nem todos os casos são iguais. Por exemplo, o Ranker explica que no caso de Michael Jordan, teve apenas rumores que sua “reforma” em 1993 foi causada pelo vício de jogo; já no caso de seu “parsa” Charles Barkley, foi o próprio que explicou ao canal de TV ESPN que havia gastado $10 milhões na jogatina.

Além disso, em alguns casos, os cassinos tomam medidas. Allen Iverson, por exemplo, foi impedido de jogar pelos próprios cassinos, em Atlantic City e Detroit.

E no Brasil?

Como em nosso país os jogos de azar são proibidos, as probabilidades de ter famosos com problemas de vício no jogo seriam menores. Contudo, desde sempre a classe média brasileira teve a possibilidade de voar até o estrangeiro (Las Vegas ou Punta Del Este) para jogar nos cassinos. Para quem mora no Paraná, ainda é mais perto, pois os cassinos argentinos e paraguaios estão esperando quem cruza a fronteira em Foz do Iguaçu. E é claro que há sempre a possibilidade de jogar blackjack online através da internet. O site Brasil Sem Azar aponta três famosos brasileiros como sofrendo de adição de jogos de azar.

Entretanto, o Brasil Sem Azar esquece de referir um ponto importante: em todos esses nomes, o jogo referido é o poker – e esse é considerado esporte e não jogo de azar, pois o jogador tem interferência no resultado final. E por isso mesmo o poker é permitido no Brasil. Os jogadores de poker referidos são três esportistas: Ronaldo “Fenômeno” (futebol), Murilo (vôlei) e Thiago Camilo (automobilismo).

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO PSICOLOGIAS DO BRASIL
Os assuntos mais importantes da área- e que estão em destaque no mundo- são a base do conteúdo desenvolvido especialmente para nossos leitores.