Nova ação contra o Tik Tok foi movida com a alegação de que duas crianças faleceram ao tentar cumprir o “desafio do apagão”. Mais cinco casos foram mencionados como decorrentes do mesmo desafio, sendo que todas as vidas perdidas foram de crianças e jovens abaixo de quinze anos no ano de 2021.

Nas ações, o aplicativo é responsabilizado diretamente, uma vez que as distribuições de assuntos são calculadas por seus algoritmos que entregou o “desafio” para esse público. No processo mais recente, as famílias alegam que as crianças não estavam procurando o desafio quando viram os vídeos, que apareceram na página “For You” – na tela principal do TikTok para as vítimas. Ou seja, as acusações são de que o aplicativo determinou que os conteúdos “são apropriados e adequados para crianças pequenas”.

Entre os argumentos, o processo traz que, como o TikTok anuncia e promove alguns desafios, ele tem o dever de monitorar tais conteúdos. Sejam eles postados ou que estejam circulando na plataforma, evitando assim a proliferação.

Segundo publicado nos sites The Verge e Olhar Digital, a última ação foi movida pelas famílias das crianças Walton, de 8 anos de idade, e Arriani Arroyo, de 9 anos, que perderam suas vidas.

Segundo a denúncia o “desafio” incentiva os usuários a utilizar cintos, cordões de bolsa ou qualquer coisa semelhante até desmaiar, o que causa a perda de consciência e a possível morte por asfixia.

A defesa do Tik Tok alega que o desafio já existia antes do aplicativo, e que disse que bloqueou as buscas pelo desafio em sua plataforma.

 

RECOMENDAMOS






Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.