Por Juliana Contaifer para o Metrópoles

Kate Middleton aproveitou um evento no Colégio Real para Obstetras, na Inglaterra, para falar sobre saúde mental e a experiência de ser mãe. A esposa do Príncipe William esteve na cerimônia, que celebrava o lançamento de uma série de filmes educacionais promovendo saúde mental para pais e filhos, como embaixadora da iniciativa Heads Together.

A campanha tem como objetivo fomentar o debate sobre saúde mental, e o discurso da duquesa se dirigiu às mães e à dificuldade de equilibrar as emoções e a pressão da sociedade. Confira:

“Pessoalmente, me tornar mãe tem sido uma experiência maravilhosa e muito recompensadora, mas algumas vezes também um grande desafio — até para mim, que tenho um apoio em casa que a maioria das mães não tem. Nada pode realmente te preparar para a experiência completamente esmagadora do que significa se tornar mãe. É cheio de emoções complexas de alegria, exaustão, amor e medo, tudo misturado. Sua identidade fundamental muda da noite para o dia.

Você vai de pensar em você mesma primariamente como um indivíduo para, de repente, ser acima de tudo uma mãe. E mesmo assim não existe livro de regras, nada certo ou errado: você só tem que tentar e fazer o melhor possível para cuidar da sua família. Para muitas mães, e eu me incluo, isso pode, em alguns momentos, levar à falta de confiança e a sentimentos de ignorância.

Muitas dessas mães também sofrem em silêncio, esmagadas por sentimentos negativos, mas com medo de admitir as lutas que estão enfrentando por medo ou vergonha do que outros, que não estão passando por isso, vão pensar. Uma parte desse medo é sobre a pressão de ser uma mãe perfeita, fingir que estamos todas nos virando perfeitamente bem e amando cada minuto. É certo falar sobre a maternidade como algo maravilhoso, mas nós também precisamos falar sobre o estresse e a tensão.

É ok não achar fácil. Pedir ajuda não deveria ser visto como um sinal de fraqueza. Se qualquer uma de nós estivesse com febre durante a gravidez, iríamos procurar conselho e suporte médico. Procurar ajuda com a nossa saúde mental não é diferente – nossos filhos precisam que nós cuidemos de nós mesmas e tenhamos acesso à ajuda que precisamos. Conversar é crucial para a saúde mental e devia ser parte da rotina familiar. Falar sobre um problema com um amigo ou pessoa de confiança pode ser o começo da melhora.”

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.