Muitas vezes nós estamos próximos as pessoas, mas nos enganamos acreditando que elas devem corresponder a uma expectativa pessoal que carregamos conosco ao invés de termos o tempo e a humildade necessários para parar e ouvir o que o outro realmente tem para nos dizer.

Foi isso o que aconteceu com a gerente da empresa WeWork Paulista, Nátaly Bonato, que, ao solicitar o preenchimento de um relatório técnico pelos funcionários, descobriu que cerca de 50% da equipe de limpeza terceirizada era analfabeta.

Notem que estamos falando de uma empresa situada na Avenida Paulista, no coração de São Paulo, logo, para um primeiro olhar, poderia realmente ser surpreendente que tantas pessoas tivessem total inaptidão ou mesmo uma alta dificuldade em preencher dados que indicassem, em um cronograma, se o local da limpeza tinha sido higienizado, e, caso não, explicar os motivos.

Mas, como todas as pessoas que se destacam por apresentar um olhar mais humano, ao invés de dispensar os funcionários que apresentavam essa limitação, Nátaly optou por buscar alternativas que corrigissem essa demanda.

Assim, ela procurou nas escolas que estão relacionadas a WeWork um profissional que pudesse ensinar esses profissionais a ler e conheceu a pedagoga Dani Araújo, da MasterTech que, mesmo sem experiência em alfabetização de adultos, aceitou o desafio.

Abaixo, está o relato de Nátaly Botato sobre como tudo aconteceu.

“As pessoas não são descartáveis. Eu não queria que alguém passasse pela minha vida sem ter o meu melhor, sem que eu pudesse tentar. Então, eu não queria que eles saíssem daqui um dia e continuassem tendo aquelas profissões por que eles não tinham escolha”, disse Nátaly em entrevista ao Razões para Acreditar, página que usamos como referência para essa postagem.

Poucos meses depois, ainda segundo nosso site de referência, os funcionários Irene, Neuraci e ‘Madruga’ já estavam aptos para redigir uma carta.

Para comemorar esse momento tão especial, Nátaly e os demais funcionários da empresa organizaram uma festa de formatura com direito até ao uso de beca!

“Na hora que eu vi eles vindo de beca, eu comecei a desfalecer de chorar e não só eu! Todo mundo. A gente fez na área comum da WeWork”, lembra Nátaly. “Foi muito incrível mesmo. Acho que é a melhor experiência da minha vida”.

Fotos: Nátaly Bonato e divulgação

Com informações de Razões para Acreditar.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.