É um trabalho do guarda proteger e servir – mas Kevin Briggs nunca pensou que seu trabalho o levaria a salvar mais de 200 pessoas do autoextermínio. Briggs foi apelidado de “Guardião da Ponte Golden Gate” por causa de sua história inspiradora.

A Ponte Golden Gate é um dos locais mais notórios do mundo para tentativas de autoextermínio. Briggs, que é um oficial da Patrulha Rodoviária da Califórnia, foi primeiro colocado em um concurso em 1994 – mas ele diz que nunca havia sido treinado sobre como lidar com pessoas suicidas.

À medida que ele encontrou indivíduos cada vez mais perturbados, no entanto, ele começou a aprender mais e mais estratégias sobre como poderia conversar com eles de maneira eficiente. Sempre que conseguia convencer alguém da borda, ele perguntava quais partes de sua abordagem eram úteis e quais não eram.

Acho que minha abordagem no começo estava errada”, disse Briggs ao CBC em uma entrevista. “Mas eu precisava ir até essas pessoas e começar a conversar com elas. Agora o que eu faço é me apresentar. Eu digo ‘Oi, eu sou o Kevin’ ou ‘Eu sou o Kevin com a Patrulha da Rodovia, tudo bem se eu for falar um pouco com você?”

Um dos seus encontros mais notáveis foi com um homem chamado Kevin Berthia em 2005. Na época, Berthia tinha 22 anos e estava se afogando em contas médicas por cuidar de sua filha recém-nascida. No meio de sua depressão, Berthia subiu na beira da ponte e se preparou para tirar a própria vida – e então foi abordado por Briggs. Briggs disse mais tarde que o homem parecia irritado com ele – mas em uma entrevista à NPR, Berthia lhe disse o contrário.

“Eu estava com raiva de mim mesmo por estar nessa situação e fiquei envergonhado”, disse Berthia. “Mas de alguma forma a compaixão em sua voz é o que me permitiu baixar a guarda o suficiente para termos uma conversa.”

“Conversamos por 92 minutos sobre tudo que eu estava lidando. Minha filha, seu primeiro aniversário foi no mês seguinte. E você me fez ver que eu preciso viver para ela. De todos os encontros de Briggs na ponte, Berthia é uma das únicas pessoas com quem ele manteve contato ao longo dos anos. Briggs se aposentou em 2013 e agora trabalha na prevenção do autoextermínio e na conscientização da saúde mental. Às vezes, Berthia até se junta a ele para falar em eventos.

Além de tudo isso, Briggs espera que seu legado na Ponte Golden Gate inspire outras pessoas a levar a depressão mais a sério – seja em si mesmo ou em seus entes queridos.” É preciso muita coragem para superar essa barreira”, disse Briggs à CBC.

“É preciso muita coragem. Mas também é preciso muita coragem para voltar e encarar a realidade que está diante deles agora. Mas há um lado melhor p e isso pode levar muito tempo e muito trabalho. A vida é linda e, você sabe, vale a pena viver.”

Se você quiser saber mais sobre a carreira de Briggs, você pode comprar a autobiografia dele ou assistir a sua palestra TED aclamada pela crítica abaixo.

TEXTO TRADUZIDO E ADAPTADO DE GOOD NEWS

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


Compartilhar

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




REDAÇÃO PSICOLOGIAS DO BRASIL
Os assuntos mais importantes da área- e que estão em destaque no mundo- são a base do conteúdo desenvolvido especialmente para nossos leitores.