A conquista de um ex-interno da Fundação Casa é a prova definitiva de que os jovens que estão em regime de reclusão têm muito potencial para ser explorado em benefício de toda sociedade.

Aluno da E.E Professor Augusto Lopes Borges, em Araçatuba, São Paulo, Jonathan Felipe da Silva Santos, de 18 anos, criou um tipo de giz capaz de corrigir a acidez do solo.

A criação lhe rendeu o título de revelação da Feira de Ciências da Educação de São Paulo. O projeto foi um dos seis finalistas da competição anual entre alunos do Ensino Fundamental (8º e 9º anos) e Ensino Médio do Estado inteiro.

Em entrevista para o G1, ele explica que foi preso em casa, durante uma abordagem policial. Jonathan tinha comprado uma moto que não sabia que era roubada. Depois que descobriu, ele resolveu desmontá-la para repassar as peças. Os policiais apareceram quando ele estava com amigos fazendo o desmanche da moto.

“É uma vida muito ruim que não quero mais para mim. O importante foi que cumpri o que devia e agora quero seguir a minha vida”, desabafa.

Jonathan desenvolveu o projeto do giz durante o período que ficou detido com a ajuda de orientadores. “Trabalhamos com o material que era possível, tive apoio dentro da área de pedagogia da fundação, mas as aulas eram dentro da fundação mesmo.”

Mas, o jovem não pretende parar por aqui. Ele almeja voos maiores: o próximo objetivo é entrar na faculdade de Medicina Veterinária.

Assista a matéria:

Informações: Razões Para Acreditar , via Bem mais Mulher

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO PSICOLOGIAS DO BRASIL
Os assuntos mais importantes da área- e que estão em destaque no mundo- são a base do conteúdo desenvolvido especialmente para nossos leitores.