Para esta mãe que ainda não tem o ensino básico completo e é uma trabalhadora que vive debaixo do sol para sustentar seus filhos, ter um deles formado é uma conquista incalculável. A gari Edvan Bacelar da Silva é a mãe de Lorenzo Menezes, recém graduado em administração.

Lorenzo tem 22 anos e escreveu um bonito testemunho em sua conta no Instagram. Ele revela que Netinha, como sua mãe é reconhecida em Conceição do Coité, interior da Bahia, jamais deixou faltar qualquer material escolar, nem para ele, nem para seus dois irmãos. Rayssa de 20 anos e o caçula, Paulo Ricardo de 13.

Início de ano sempre foi uma correria para a gari: precisava não perder a data da matrícula e ainda se virar para comprar o material escolar e o uniforme do colégio. Lorenzo sempre frequentou escolas públicas e, com o incentivo de seus professores, comprometeu-se a prestar vestibular. O resultado disso foi ser aprovado com uma bolsa integral na Universidade Anísio Teixeira, em Feira de Santana.

Se não conseguisse a bolsa, dificilmente Lorenzo faria uma faculdade, sua família depende do salário mínimo de Netinha e do auxílio-doença de seu Renivaldo, o seu pai que trabalhava com estofado, mas teve um AVC e ficou sem condições de exercer sua profissão.

“Administração era minha segunda opção. Antes, eu havia passado em engenharia civil, que era minha primeira opção. Mas minha mãe não tinha como me manter em Salvador. Aí desisti e optei pela opção mais viável. Em Feira de Santana, onde moro atualmente, tenho três tias, irmãs da minha mãe, que me ajudaram a dar meus primeiros passos”, contou Lorenzo, em entrevista ao site Razões para Acreditar.

 

Quando questionado sobre a importância de sua mãe para o seu ingresso na universidade, Lorenzo explica: “Desde pequeno eu sempre fui muito observador e não vou negar que quando criança sentia inveja dos meus amigos que tinham mães que os ajudavam no dever de casa. Minha mãe nunca me ensinou, não por tempo, mas por que ela não sabia. Então, não queria desapontá-la só pelo fato de não poder me ajudar com o dever de casa.”

Mas o que Netinha podia fazer ela não deixava de realizar, como alfabetizar Lorenzo antes de entrar na escola. Quando ele ingressou na escola, já estava à frente da turma. Então, graças ao que sua mãe lhe ensinou, pulou de série. “Todos os anos, me esforçava para passar direto e deixá-la orgulhosa. Pra ela saber que tinha cumprido seu papel de mãe: me dar educação e me guiar.”

View this post on Instagram

“Olá, para quem não me conhece me chamo Enzo Menezes. Esta ao meu lado na foto é a minha mãe, sim, é a mesma pessoa na foto. Para quem não sabe, minha mãe é auxiliar de limpeza, profissão mais conhecida como "gari", "varredor de rua"… Quando eu era pequeno, esta mulher nunca me deixou faltar um lápis, nem uma borracha, nem um caderno para eu estudar. Agraciada pelo programa Bolsa Família, ela utilizava cada centavo para auxiliar na minha educação e na de meus dois outros irmãos, bem como nunca deixou faltar comida na mesa para nos alimentarmos… Todos os anos, lembro como era a correria da minha mãe para não perder a data de matricular a gente, de comprar os materias escolares, o uniforme e nos guiar sempre para o melhor caminho. Minha mãe não tem o 1° grau completo e as dificuldades da vida fizeram com que ela se esforçasse ao máximo para que nós não passassemos pelas mesmas. Estudei em escolas pública do maternal ao ensino médio me esforçando sempre para obter o máximo de conhecimento. Tive muito a ajuda de grandes mestres nesta caminhada, que me incentivaram a não parar. Foi então que no último ano do ensino médio eu decidir entrar para o programa Universade para todos, onde eu pude me preparar melhor para o vestibular. Entretanto, eu via a concorrência e as dificuldades que teria para passar logo de cara… Vendo vários amigos meus estudando em um Cursinho pré-vestibular particular, enxerguei uma oportunidade de reforçar todo conhecimento que estava recebendo… Mas eu não tinha dinheiro, nem minha mãe… Foi ai que surgiu a ideia de vender trufa para pagar a mensalidade! Conversei com minha mãe, tive todo apoio do mundo e corri atrás! Lá estava eu, terminando o último ano do ensino médio, indo pro cursinho de tarde e a noite, me esforçando para valorizar todo esforço que esta mulher fez por mim. O tempo passou e lá estava eu, agraciado com uma bolsa integral no ProUni, pronto para ingressar na faculdade e esta não foi a única notícia boa do ano, meus pais também foram abençoados com o sonho deles através do Minha Casa Minha Vida, comprando uma casa e montando ela com o projeto Minha Casa Melhor.” Publicado no insta por @menezes_lorenzo

A post shared by Razões Para Acreditar (@razoesparaacreditar) on

Com informações de Razões para Acreditar

 

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO PSICOLOGIAS DO BRASIL
Os assuntos mais importantes da área- e que estão em destaque no mundo- são a base do conteúdo desenvolvido especialmente para nossos leitores.