A Flórida (EUA) passará a exigir que as escolas públicas implementem educação em saúde mental, tornando-se o terceiro estado americano a fazê-lo depois que Nova York e VirgÍnia aprovaram leis semelhantes no ano passado.

O Conselho de Educação do estado votou na quarta-feira para fornecer a todos os alunos do 6º ao 12º ano, pelo menos, cinco horas de instrução de saúde mental por ano, disse o comissário de Educação Richard Corcoran em um comunicado à imprensa.

“Isto é apenas o começo. Não é segredo que a depressão rouba os estudantes da capacidade de atingir seu pleno potencial, e estamos unindo forças para combater esta doença e dar aos nossos alunos as ferramentas necessárias para que eles prosperem ”, disse ele.

Ele também creditou a primeira-dama da Flórida, Casey DeSantis, a tomar a iniciativa de ajudar a obter a medida aprovada, depois que ela lançou o Hope for Healing Flórida em maio, uma campanha multi-agência de saúde mental e contra o abuso de substâncias.

“Ao viajar pelo estado, estou ouvindo muitas famílias e sei que 50% de todos os casos de doenças mentais começam aos 14 anos, por isso estamos sendo proativos em nosso compromisso de fornecer aos nossos filhos as ferramentas necessárias para que eles lidem melhor com seus desafios”, acrescentou DeSantis, de 39 anos, em um comunicado no Twitter.

A educação necessária deve incluir instruções sobre como reconhecer sinais e sintomas de depressão, como as crianças podem obter ou buscar ajuda para si ou para outros, uma conscientização de recursos como a linha direta Nacional de Prevenção do Suicídio e conselhos sobre como ajudar os colegas que sofrem com distúrbios mentais.

Ainda não está claro se os educadores serão trazidos para ensinar os alunos, ou se os professores serão treinados nas lições.

Estima-se que 49,5% dos adolescentes americanos com idades entre 13 e 18 anos tenham um transtorno mental, de acordo com o Instituto de Saúde Mental dos Estados Unidos.

O instituto relata que 31,9% sofrem de um transtorno de ansiedade, enquanto 2,3 milhões de adolescentes entre 12 e 17 anos tiveram pelo menos um episódio depressivo maior em 2017.

***
Tradução feita por Destaques Psicologias do Brasil, com base no original de MSN.
Foto destacada: Stanley Morales/ Pexels.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.