Luca Trapanese, nascido na itália, de 41 anos, tinha o desejo de adotar uma criança. Após muita procura, conheceu Alba, uma criança de apenas 1 ano e meio, portadora de síndrome de Down, e que já havia sido rejeitada por vinte famílias. Solteiro, gay, católico praticante, Lucas desde a adolescência é voluntário em causas sociais, especialmente àquelas ligadas a abrigos de crianças com doenças ou síndromes graves.

Apaixonado por Alba, que ele conhece desde que a bebê tinha apenas um mês de vida, o italiano decidiu adotá-la. Alba foi abandonada pela mãe no hospital assim que nasceu. Seu desejo de longa data, desde que começou a trabalhar como voluntário em abrigos, era adotar uma criança com necessidades especiais, agora Luca finalmente conseguiu.

“Uma criança com deficiência não é uma oportunidade de série B, mas uma escolha consciente em relação à minha vocação e minhas habilidades”, disse o italiano. Luca costuma dizer que o amor por Alba foi à primeira vista, assim que a conheceu. Agora com sua filha, ele conta com o auxílio de Luísa, que é governanta, da mãe dele e de uma outra senhora que tem um filho deficiente, elas ajudam nos cuidados com Alba.

O exemplo de Luca ao adotar Alba inspirou milhares de pessoas, especialmente depois que o italiano começou a aparecer em diversos talk shows europeus contando sua história.

“Minha página no Facebook e meu perfil atingiram mais de 12.000 pessoas. Eu recebo 500 mensagens por dia. É, portanto, uma reação inesperada. Mas isso nos faz refletir sobre o desejo de mudança por parte de muitos”, disse o pai de Alba ao portal GNews.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO PSICOLOGIAS DO BRASIL
Os assuntos mais importantes da área- e que estão em destaque no mundo- são a base do conteúdo desenvolvido especialmente para nossos leitores.