Por Isabela Moreira para a Revista Galileu

Um levantamento realizado por pesquisadores da Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, mostra que homens machistas têm mais chances de ter problemas de saúde mental. A pesquisa, que foi publicada no periódicoJournal of Counseling Psychology, também sugere a probabilidade desses homens buscarem ajuda psicológica é muito baixa.

Os pesquisadores analisaram cerca de 80 estudos realizados nos últimos 11 anos, com dados de mais de 19,4 mil pessoas, sobre saúde mental e comportamentos esperados do gênero masculino para identificar alguns padrões.

Eles consideraram aspectos como a necessidade dos homens de sempre ganhar e correr riscos, controlar os outros emocionalmente, serem mais poderosos do que as mulheres, serem mulherengos, ter o domínio de pessoas e situações, buscar status, colocar o trabalho em primeiro lugar e só confiarem em si mesmos.

A partir da análise, os cientistas descobriram que três dos comportamentos acima estão diretamentamente relacionados com uma péssima saúde mental: ser mulherengo, estar sempre tentando controlar as mulheres e só confiar em si mesmo. Por serem ensinados que “homem de verdade não chora” ou mostrar suas vulnerabilidades, esses homens também têm mais dificuldade em dar o braço a torcer e buscar ajuda psicológica profissional.

“Esse estudo nos mostra que precisamos de soluções socioculturais para a saúde dos homens e que temos que expandir a noção que temos de masculinidade, o que pode moldar as vidas dos homens”, afirmou o professor de sociologia Michael Flood, da Universidade de Wollongong, na Austrália, em entrevista ao IFLove Science.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.