Pesquisadores da Universidade Nacional Australiana (ANU, na sigla em inglês) sugeriram que as mulheres devem trabalhar menos horas do que os homens, porque muitas vezes precisam cuidar das tarefas domésticas. O estudo, liderado pelo Dr. Huong Dinh, recomendou um limite de 34 horas por semana para as mulheres, comparado as 47 horas por semana para homens, porque as mulheres gastam mais tempo em responsabilidades domésticas em comparação aos homens.

Dinh advertiu que as responsabilidades extras para as mulheres poderiam prejudicar sua saúde mental.

“Longas horas de trabalho desgastam a saúde mental e física das pessoas, porque deixa menos tempo para se alimentar bem e cuidar de si de maneira adequada”, disse Dinh, segundo o The Sun. “Dadas as demandas extras impostas às mulheres, é impossível que as mulheres trabalhem [as] longas horas esperadas pelos empregadores, a menos que comprometam sua saúde”, acrescentou.

A professora Lyndall Strazdins, co-pesquisadora da ANU, expressou preocupação sobre quanto tempo de trabalho para as mulheres pode afetar sua saúde mental. “Se encorajarmos as mulheres a tentar atingir essas horas de trabalho, estamos basicamente confrontando-as com um trade-off entre sua saúde e igualdade de gênero”, disse Strazdins, segundo o Daily Mail.

Strazdins sugeriu que as mulheres deveriam ser recompensadas de maneira justa por trabalhar 38 horas ou mais por semana. “Vai ser um processo lento e difícil, porque é uma grande mudança social”, disse ele, segundo o Daily Mail.

A pesquisa, que foi publicada na revista Social Science & Medicine, foi baseada em dados da pesquisa Household, Income e Labor Dynamics in Australia (HILDA), de acordo com um comunicado de imprensa em fevereiro.

A pesquisa envolvendo 8.000 participantes australianos mostrou que 66% dos funcionários trabalham em período integral mais de 40 horas por semana em seu trabalho.

Estatísticas divulgadas pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) mostraram que as mulheres gastam uma média de 4,5 horas por dia fazendo tarefas domésticas, como cozinhar e limpar, enquanto os homens gastam apenas metade desse tempo.

Os pesquisadores da ANU sugeriram que o trabalho deveria ser limitado a 39 horas por semana em vez de 48 horas para evitar riscos à saúde.

O Vice News informou que trabalhar mais de 39 horas por semana aumenta o risco de desenvolver problemas de saúde mental, como ansiedade e depressão. A Austrália supostamente gasta 8 bilhões de dólares a cada ano para tratar problemas de saúde mental em mulheres, enquanto perde 11 bilhões de dólares a cada ano em perda de produtividade.

Strazdins afirmou que os australianos precisam descartar a suposição de que fazer um bom trabalho significa trabalhar mais horas.

Imagem de capa: JESHOOTS.COM on Unsplash

TEXTO ORIGINAL DE PORTAL PADOM

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.