Originalmente publicado no Jornal O Povo

É sempre emocionante quando, diante de importantes feitos, alguém, para além dos próprios méritos e do próprio esforço, reconhece os méritos e os esforços daqueles que o rodeiam e que criaram as condições para que aquelas vitórias se viabilizassem. Não raro nos deparamos com indivíduos mesquinhos que, tendo ascendido socialmente, passam a se envergonhar dos próprios pais, muitas vezes de origem humilde e que por eles tanto fizeram: esse com certeza não é o caso de Lorenzo.

Lorenzo Menezes concluiu o ensino superior no último dia 1º de novembro, em Administração, pela Faculdade Anísio Teixeira. O jovem passou por dificuldades no percurso que levou até o diploma, mas contou com o apoio e com a força de sua mãe, auxiliar de limpeza em Feira de Santana, na Bahia. Após a formatura, em publicação no Instagram, Lorenzo descreveu o caminho percorrido, agradeceu a persistência de sua mãe e ofereceu, como homenagem, o canudo à dona Edivan.

“Esta ao meu lado na foto é a minha mãe. Sim, é a mesma pessoa na foto. Minha mãe é auxiliar de limpeza, profissão mais conhecida como “gari”. Quando eu era pequeno, esta mulher nunca me deixou faltar um lápis, nem uma borracha, nem um caderno para eu estudar. Todos os anos, lembro como era a correria da minha mãe para não perder a data de matricular a gente, de comprar os materiais escolares, o uniforme e nos guiar sempre para o melhor caminho”, descreveu Lorenzo em seu post na rede social.

Estudante da rede pública do maternal ao ensino médio, Lorenzo sonhavam em ingressar no ensino superior. Ele reconheceu que a concorrência nas universidades públicas era grande e qualificada e optou por fazer um pré-vestibular para aumentar suas chances de conseguir uma vaga. Entretanto, a condição financeira foi entrave.

“Foi aí que surgiu a ideia de vender trufa para pagar a mensalidade! Conversei com minha mãe, tive todo apoio do mundo e corri atrás! Lá estava eu, terminando o último ano do ensino médio, indo para o cursinho de tarde e à noite, me esforçando para valorizar todo esforço que esta mulher fez por mim”, afirmou. Os esforços deram resultados e Lorenzo conquistou uma bolsa integral na faculdade.

Em outra postagem, na qual ele está usando uma beca, Lorenzo descreveu o sentimento após se tornar bacharel em administração. “É inexplicável a emoção que sentimos quando um objetivo é alcançado. Só tenho a agradecer e bradar júbilos de glória por esta Vitória! É emocionante gritar: Eu consegui! Não desistam dos seus sonhos, todos nós somos capazes de realizá-lo”, comemorou.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Olá, para quem não me conhece me chamo Enzo Menezes. Esta ao meu lado na foto é a minha mãe, sim, é a mesma pessoa na foto. Para quem não sabe, minha mãe é auxiliar de limpeza, profissão mais conhecida como “gari”, “varredor de rua”… Quando eu era pequeno, esta mulher nunca me deixou faltar um lápis, nem uma borracha, nem um caderno para eu estudar. Agraciada pelo programa Bolsa Família, ela utilizava cada centavo para auxiliar na minha educação e na de meus dois outros irmãos, bem como nunca deixou faltar comida na mesa para nos alimentarmos… Todos os anos, lembro como era a correria da minha mãe para não perder a data de matricular a gente, de comprar os materias escolares, o uniforme e nos guiar sempre para o melhor caminho. Minha mãe não tem o 1° grau completo e as dificuldades da vida fizeram com que ela se esforçasse ao máximo para que nós não passassemos pelas mesmas. Estudei em escolas pública do maternal ao ensino médio me esforçando sempre para obter o máximo de conhecimento. Tive muito a ajuda de grandes mestres nesta caminhada, que me incentivaram a não parar. Foi então que no último ano do ensino médio eu decidir entrar para o programa Universade para todos, onde eu pude me preparar melhor para o vestibular. Entretanto, eu via a concorrência e as dificuldades que teria para passar logo de cara… Vendo vários amigos meus estudando em um Cursinho pré-vestibular particular, enxerguei uma oportunidade de reforçar todo conhecimento que estava recebendo… Mas eu não tinha dinheiro, nem minha mãe… Foi ai que surgiu a ideia de vender trufa para pagar a mensalidade! Conversei com minha mãe, tive todo apoio do mundo e corri atrás! Lá estava eu, terminando o último ano do ensino médio, indo pro cursinho de tarde e a noite, me esforçando para valorizar todo esforço que esta mulher fez por mim. O tempo passou e lá estava eu, agraciado com uma bolsa integral no ProUni, pronto para ingressar na faculdade e esta não foi a única notícia boa do ano, meus pais também foram abençoados com o sonho deles através do Minha Casa Minha Vida, comprando uma casa e montando ela com o projeto Minha Casa Melhor.

Uma publicação compartilhada por lorenzo com l de lindu (@menezes_lorenzo) em

Via: Revista Pazes

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO PSICOLOGIAS DO BRASIL
Os assuntos mais importantes da área- e que estão em destaque no mundo- são a base do conteúdo desenvolvido especialmente para nossos leitores.