Jogos de azar e apostas em si carregam consigo um efeito colateral muito perigoso e difícil de se lidar. Ao falarmos de apostar, podemos fazer uma analogia à comerciais de cerveja e bebidas com teor alcoólico “Beba com Moderação”.

Esse vício em apostas pode ser notado primeiramente por familiares ou amigos, pois pouco a pouco os sinais vão aparecendo. Como acontece com a maioria dos problemas, sejam eles de saúde ou não, o círculo mais próximo da pessoa atingida é o primeiro a ser afetado, ou seja, depende de com quem a pessoa tenha mais contato, a família ou os amigos. Por isso, ambos costumam ter uma tendência maior de serem os primeiros a perceber que há alguma coisa errada até mesmo antes do jogador.

Podem até não conseguir dizer exatamente algo do tipo “você está com os sintomas de um viciado em apostar”, mas percebem mudanças de comportamento que indicam essa diferença, e o que deveria ser uma diversão ou forma de complementar a renda passou a ser perigoso e não saudável.

Photo by Longxiang Qian from Pexels

Estamos falando de formas mais seguras e relativamente coincidentes com nossa saúde mental como apostar na Mega Sena algumas vezes por semana, de forma que não afete sua renda, até o contrário disso, quando os gastos e a fissura pelas possibilidades acabam tomando conta do seu cotidiano e renda.

No primeiro caso, a percepção é um pouco mais fácil, pois os hábitos mudam de uma forma perceptível para pessoas que convivem muitas horas juntas. No segundo, quando apostar se torna a forma principal de renda da pessoa, já é mais difícil de lidar e tratar. Afinal, é preciso dedicar mais horas para sua fonte de renda. Isso acontece nas formas mais distintas de serviço. Para nomear esse sintoma foi criado o termo inglês workaholic (algo que faz analogia à um alcoólatra só que ao invés de consumir álcool em excesso, a pessoa trabalha em excesso) que muitas vezes é visto como positivo, pois indica que a pessoa tem disposição para batalhar por seus ganhos. Contudo, a falta de equilíbrio cria problemas na convivência com amigos e parentes capazes de mostrar claramente que existe uma patologia.

O vício pode começar até mesmo na sua primeira aposta, seja ela lucrativa ou prejudicial. Pois se você ganha, vai querer ganhar mais, e caso perca, vai querer correr atrás do prejuízo, não é? Esse é o problema, quanto mais você joga, mais você vai querer jogar, e não importa quantas vitórias seguidas você consiga, alguma hora você sempre perde, pois no fim a casa sempre vence. Então jogue com moderação.

Caso a pessoa já esteja viciada, é recomendado que siga os seguintes conselhos:

  • Realize atividades de lazer. Peça ajuda aos seus familiares e amigos para que estes o ajudem a vencer este problema. Seus familiares e amigos podem ser seu maior apoio, podem passar mais tempo consigo, fazer algum exporte junto e outras atividades que reforcem vossos laços.
  • Faça contas à sua vida. Se está viciado e só está saindo no prejuízo, basta fazer contas à sua vida… Veja quanto está gastando e qual o retorno que está a ter… certamente está com um balanço negativo, senão não estaria aqui lendo a nossa ajuda para se livrar desse maldito vício!
  • Não se iluda! Ouviu falar de um cara que ganha a vida com jogo de apostas?? Queria ser igual e quer viver só disso? Amigo, isso não é bem assim… se alguém fizesse da sua vida com jogos de apostas, todas as casas de apostas já teriam fechado, não acha? O prejuízo tem que ser muito mais que o lucro, e é muito raro alguém ter lucro com esse tipo de apostas! Não se iluda…
  • Se realmente quer fazer disso um hobbie, imponha um limite. Não gaste tudo em apostas. Estipule um valor máximo a ser gasto por mês e cuide melhor do seu dinheiro. Você tem essa quantia para gastar nesse mês, se gastar todo antes do final do mês, então espere chegar o próximo e tente de novo, tudo na vida leva tempo.

***

Imagem de capa: Photo by Suzy Hazelwood from Pexels

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.