E já que (por enquanto) mutantes com o dom da telepatia existem apenas nas histórias de ficção científica, alguns estudiosos descobriram algumas maneiras práticas de entender a mente dos consumidores: o Neuromarketing.

O Neuromarketing pode ser definido como o encontro entre a Neurociência, a Psicologia e o Marketing. Ele não tem a precisão de um professor Xavier para entrar na mente do consumidor, mas consegue bons resultados.

O objetivo do Neuromarketing é encontrar soluções para o empreendedor se comunicar com o seu público, analisando como o cérebro humano reage diante de estímulos das campanhas publicitárias e os comportamentos de consumo.

Nesse contexto, o Neuromarketing permite que o profissional da área de marketing compreenda os estímulos diante de determinadas cores, palavras, sons e imagens.

Por essa razão, ele é fundamental para a concepção de embalagens, jingles e comerciais audiovisuais.

A união da Psicologia e da Neurociência aplicadas ao Marketing ao longo do tempo tem se mostrado eficiente. Hoje em dia, diante do avanço da internet essa área ganha ainda mais relevância.

Logo abaixo vamos entender alguns conceitos importantes envolvendo essa área.

IRMF

É a sigla para o termo “Imagem de Ressonância Magnética Funcional”, que atua mensurando como e quais são as áreas do cérebro que reagem determinados elementos de uma campanha de marketing.

Gatilhos mentais

São detalhes que atuam no inconsciente do consumidor o estimulando a partir para a ação de compra. Sabe quando você envia em um e-mail marketing avisando que a “promoção é por tempo limitado”?

Pois então, você está acionando no inconsciente do público o gatilho mental da escassez. Há vários tipos de gatilho além desse como o da urgência ou da autoridade. Enfim, resta saber como e quando trabalhar cada um deles.

Arquétipos

Termo muito comum em algumas áreas da Psicologia, ele também pode dar as caras no Neuromarketing. Os arquétipos podem ser apresentados em forma de imagens, sons, cheiros e comportamentos.

Por isso, não foi por acaso que, na década de 80, certa marca de amortecedores de carro veiculava um comercial de TV protagonizado por um cãozinho. O cão é um arquétipo que remete ao consumidor o conceito de confiança.

O Neuromarketing nos tempos de internet

Os estudos da Psicologia que ajudam a compreender o comportamento do consumidor, aliado a conceitos da Neurociência que estuda o cérebro humano, pode ajudar o empreendedor em descobrir como criar um blog capaz de atrair mais leads.

Pode também ser eficiente para encontrar o tom certo de um comercial de vídeo, bem como auxiliar a encontrar quais palavras fazem mais efeito em uma postagem nas redes sociais.

Utilizar o Neuromarketing não é fazer marketing. Ele é um instrumento que auxilia o empreendedor a traçar as estratégias de marketing.

E em uma época em que a internet é fundamental para o empreendedorismo, o Neuromarketing e a web andam de mãos dadas por meio de:

Blogs

Sabem aquelas palavras-chaves que os especialistas em SEO tanto falam que são importantes para o seu blog? Pois então, o Neuromarketing pode ajudar você a compreendê-las melhor.

Além disso, você já deve saber o quanto o nome de domínio é importante para o seu site. Nesse aspecto, as técnicas de Neuromarketing permitem optar por nomes adequados, curtos e que sejam marcantes para o seu público de consumidores.

Vídeos

Além de uma boa hospedagem de sites para suportar conteúdos dos mais variados formatos, especialmente vídeos, você pode precisar do Neuromarketing para criar vídeos capazes de ativar os gatilhos mentais dos clientes.

Layouts

Se ter um blog e um site responsivo é fundamental, o Neuromarketing orienta você na escolha do melhor layout, na cor de fundo mais atraente e na fonte mais aprazível para a leitura.

Quem usa, por exemplo, uma plataforma com hospedagem WordPress, poderá optar por templates que realmente despertem o desejo e a ação de compra no cliente.

E lembre-se que com uma hospedagem especial para WordPress, você terá um bom espaço em disco, mais memória e também backups frequentes.

E-mail marketing

Essa é uma das mais eficientes estratégias de Marketing Digital, afinal, o e-mail marketing atinge um público bem segmentado, que tem o interesse em receber o seu conteúdo.

Ao conhecer os conceitos do Neuromarketing é possível engajar cada vez mais esses consumidores com a sua marca.

Mídias Sociais

Não é novidade que hoje em dia as redes sociais gozam de popularidade, mas você sabe qual é a melhor maneira para abordar o seu cliente que acessa as redes sociais?

Com algumas dicas do Neuromarketing você vai conhecer e saber como interagir melhor com seus seguidores nas diversas mídias sociais. Afinal, se relacionar bem é parte do comportamento de todo ser humano, e com as marcas não é diferente.   

Conclusão

O cérebro humano é uma caixinha de surpresas. Se antes psicólogos e cientistas ousavam desvendar os locais mais escondidos do inconsciente, agora eles também buscam compreender os comportamentos de consumo.

Portanto, se você quer tornar o seu blog ou o seu site mais presente no cotidiano do seu público, procure entender mais sobre essa ciência chamada Neuromarketing.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO PSICOLOGIAS DO BRASIL
Os assuntos mais importantes da área- e que estão em destaque no mundo- são a base do conteúdo desenvolvido especialmente para nossos leitores.