Jean Piaget é um dos autores mais influentes da psicologia. Este filósofo e biólogo se interessou pelas etapas do desenvolvimento das pessoas, e hoje seu trabalho é referência em psicologia e outras ciências humanas. Deste modo, a teoria das etapas do desenvolvimento cognitivo de Jean Piaget é conhecida por  psicólogos. É uma das teorias que deu origem a toda uma disciplina, como a psicologia evolucionista.

Desenvolvimento cognitivo de acordo com Piaget

Uma criança não é um adulto meio crescido. Pelo menos em um nível quantitativo, e é que por um longo tempo foi ampliada a ideia de que uma criança é um pequeno adulto que não tem experiência na vida. Piaget foi encarregado de demonstrar a parte mais qualitativa do assunto. O desenvolvimento cognitivo não deve ser entendido como algo linear e cumulativo, mas cada pessoa tem características cognitivas diferentes, dependendo do estágio da vida em que se encontra.

Desta forma, as pessoas que estão em um estágio evolucionário têm uma maneira de ver as coisas diferentes daquelas encontradas em outro. Não só é que os mais velhos têm mais experiência na vida, mas no nível psicológico, há uma série de coisas que devem ser levadas em conta.

Os 4 estágios do desenvolvimento cognitivo de Jean Piaget

Hoje, a psicologia evolutiva não seria a mesma sem a figura de Jean Piaget. E, mais especificamente, a psicologia evolucionista, e essa é a teoria dos estágios do desenvolvimento cognitivo de Jean Piaget, estabeleceu as bases dessa disciplina psicológica. Abaixo estão os famosos estádios propostos pelo autor. Eles são a parte essencial desta teoria que hoje é estudada em todas as faculdades de psicologia, embora também haja algumas críticas a ela.

1. Estágio Sensório-motor

O estágio sensório-motor vai do nascimento do bebê até este começar a falar. Esse momento chega por volta dos dois anos de idade, quando a pessoa consegue construir frases simples. O primeiro dos estágios do desenvolvimento cognitivo de Jean Piaget tem como característica fundamental a maneira como o bebê interage com o mundo. Seus sentidos dão a ele toda a informação sobre o mundo, sendo sua ânsia por uma exploração fundamental para seu desenvolvimento cognitivo.

A necessidade de compreender o mundo através dos sentidos não impede que os bebês saibam que existem objetos que existem, apesar de não tê-los na frente deles. Por outro lado, há pessoas que estão no estágio sensório-motor e são basicamente egocêntricas. Não é até etapas posteriores que tendem a mostrar comportamentos mais ligados ao altruísmo e à autonegação.

2. Etapa pré-operacional

O estágio pré-operacional é aquele que corresponde entre dois e sete anos de idade. As pessoas que estão nesta fase do desenvolvimento de Jean Piaget já são mais capazes de interagir, e o jogo é frequentemente desempenhado por papéis fictícios. É, portanto, um período no qual a capacidade de usar objetos com um caráter simbólico é adquirida. É o caso dos jogos infantis, onde eles podem cozinhar e lutar com brinquedos que representam potes ou espadas.

Embora continuem sendo pessoas egocêntricas, é a partir desse estágio que aparecem manifestações claras que podem ser colocadas no lugar de outra pessoa. Portanto, começam a mostrar reações empáticas e altruístas, embora isso não seja usual.

No estágio pré-operacional, a capacidade de associação de ideias é clara, mas também sua simplicidade e baixa capacidade de contraste. É por essa razão que crianças entre dois e sete anos de idade podem facilmente recorrer ao pensamento mágico para explicar fatos diferentes.

3. Estágio das operações concretas

O estágio das operações concretas vai de sete a doze anos de idade aproximadamente. Neste episódio evolutivo, a pessoa já é capaz de adquirir muitas das capacidades mentais de uma pessoa adulta.

É nesse estágio, por exemplo, quando o uso da lógica ganha força. É, portanto, um episódio evolutivo em que a pessoa pode chegar a conclusões usando capacidades associativas maiores. A pessoa pode se tornar menos egocêntrica nesse estágio de Piaget e está numa fase de desenvolvimento de sua capacidade de abstração.

4. Estágio de operações formais

O estágio das operações formais vai de doze anos até o final da idade adulta . A maioria da população, portanto, está nesta fase da vida e representa a culminação do desenvolvimento cognitivo no nível evolutivo. Nesta etapa de Piaget, a pessoa já é capaz de recorrer à sua capacidade total de abstração e ao uso da lógica para resolver problemas.

É assim que o pensamento hipotético-dedutivo toma importância nessa fase da vida. Baseia-se na ideia de que uma pessoa gera hipóteses para tentar explicar o que observa, sendo que experimentação e raciocínio são os meios para prová-la. Embora algumas pessoas permaneçam egocêntricas, isso não é mais uma característica definidora desse estágio. As pessoas no estágio das operações formais são capazes de condicionar seu pensamento ou comportamento por motivos que vão além de sua pessoa.

TEXTO TRADUZIDO DE MED SALUD

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


Compartilhar

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




REDAÇÃO PSICOLOGIAS DO BRASIL
Os assuntos mais importantes da área- e que estão em destaque no mundo- são a base do conteúdo desenvolvido especialmente para nossos leitores.