“Você não pode evitar que problemas batam à sua porta, mas você não precisa fornecer uma cadeira para acomodá-los”, disse Joseph Joubert, um ensaísta francês do século XVIII. No entanto, muitas vezes fazemos exatamente o oposto, somos aprisionados pelas circunstâncias, sem perceber que, quando as coisas dão errado, não precisamos ir com eles, não devemos deixá-las nos atrapalhar. Às vezes, a solução para os problemas é tão simples quanto mudar a perspectiva e não deixar que os hábitos negativos nos prendam.

Você vê o mundo como você se sente, não como é.

Infelizmente, quando enfrentamos certos contratempos, eles geram uma forte resposta emocional que obscurece nossa perspectiva. De fato, um estudo muito interessante realizado na Universidade de Freiburg revelou que a depressão nos faz ver o mundo cinza, literalmente porque afeta a resposta elétrica das células da retina, que são responsáveis ​​pela “visão de contrastes”.

“Da mesma forma, outro experimento realizado na Universidade de Bristol descobriu que pessoas que sofrem de ansiedade têm dificuldade em detectar expressões faciais das emoções de outras pessoas e só costumam ver raiva. Isso nos diz que quando as emoções assumem, é ainda mais difícil ver o mundo como ele realmente é.

Quando nos deparamos com um problema, é como se de repente tivéssemos uma visão de túnel que nos impede de ver toda a imagem. É por isso que é tão fácil se deixar levar pelas circunstâncias e adotar um pensamento negativo e catastrófico. Nós deixamos os problemas nos arrastar junto.

3 técnicas eficazes para sair da corrente que te arrasta

1. Não lute contra suas emoções, assuma-as

Emoções não são negativas em si, são mensagens muito importantes que você deve aprender a ouvir. Na verdade, você não pode nem mesmo se sentir triste quando algo de ruim acontece ou ficar com raiva quando você sente que cometeu uma injustiça. Não há nada de errado com isso. O problema começa quando você deixa as emoções assumirem e obscurecerem sua perspectiva. Nesses casos, pode haver um sequestro emocional completo, então lutar contra eles é muitas vezes contraproducente, é como nadar contra uma corrente muito forte: só vai exaurir você, mas você não será capaz de avançar. Portanto, a coisa mais sábia é estar ciente do que você sente e deixá-lo ir.

Um truque que ajuda muitas pessoas a entender essa ideia que vem da filosofia budista e envolve a correspondência de emoções aos seus olhos. Você não pode controlar tudo o que vê, a cada momento você é bombardeado por muitos estímulos visuais, mas geralmente eles não incomodam você. Você toma nota e olha para longe para se concentrar no que realmente lhe interessa. O mesmo pode ser feito com emoções. Ao subtrair parte do impacto, elas terão menos influência na sua visão do problema.

2. Torne-se um especialista em reestruturação cognitiva

Emoções não são as únicas que afetam sua visão do problema, também afetam suas crenças, expectativas e pensamentos que assombram sua mente. Se ao longo dos anos você desenvolveu um estilo de pensamento catastrofista, ele será ativado automaticamente quando você tiver que lidar com um problema. É por isso que, para não se deixar levar pela corrente, você também deve ficar de olho em seus pensamentos.

A reestruturação cognitiva é uma técnica de terapia cognitivo-comportamental muito eficaz, usada para identificar e corrigir padrões de pensamentos negativos. O primeiro passo é monitorar todos os pensamentos negativos automáticos que vêm à sua mente que geram desconforto emocional e frustração, como “Eu sou um desastre, eu não serei capaz de resolvê-lo”.

Em vez disso, você terá que colocar pensamentos mais funcionais, como: “com um pouco de paciência e serenidade, eu serei capaz de resolvê-lo”. Como você pode ver, não se trata de recorrer a ideias positivas irreais e ingênuas, mas apenas de assumir uma atitude mais realista. No entanto, esta técnica não se limita apenas a mudar um pensamento para outro, porque desta forma seria muito ineficiente, porque a mente não é enganada tão facilmente.

O importante é que você questione a validade desses pensamentos negativos automáticos, até entender que são generalizações errôneas. Procure sua origem e encontre situações em sua vida que não se aplicam. Quando você enfrenta esses pensamentos e questiona sua validade, eles gradualmente enfraquecem.

3. Plante a distância pela metade viajando para o passado e o futuro

Os benefícios de se distanciar emocionalmente dos problemas têm sido amplamente estudados na psicologia. Um estudo realizado na Universidade de Cornell provou que, quando assumimos uma distância psicológica, os problemas parecem mais simples.

Outra pesquisa realizada na Universidade de Columbia revelou que a distância psicológica nos permite ganhar autocontrole, pois nos ajuda a reduzir a reatividade emocional. Existem diferentes técnicas para assumir a distância emocional, uma das mais simples e mais eficazes é “o viajante do tempo”, uma vez que também ativa seus recursos naturais de cura e resiliência.

Na prática, você só precisa imaginar que pode viajar no tempo. Olhe em seu passado para uma situação que o preocupou muito e fez você se sentir mal. Valorize-o com os olhos do presente. Você vai perceber que muitas das suas preocupações foram em vão.

Agora imagine que você viaja para o futuro, cinco ou dez anos, e olhe para o problema que você está vivenciando hoje. Pergunte a si mesmo se é necessário ou inteligente abordá-lo dessa maneira.Finalmente, não se esqueça que quando as coisas não saem como você deseja, você não precisa ir com elas, levá-las aonde quer que você vá.

TEXTO TRADUZIDO DE RINCON DA PSICOLOGÍA

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO PSICOLOGIAS DO BRASIL
Os assuntos mais importantes da área- e que estão em destaque no mundo- são a base do conteúdo desenvolvido especialmente para nossos leitores.