Marie Southard Ospina escreve descreve quais foram as reações das pessoas quando ela usou, pela primeira vez,  um biquíni de cintura baixa para ir à praia.

Ser uma mulher de tamanho grande em público

Experiência.  Ela queria ver como as pessoas reagiriam quando ela passasse pela praia.

Inspiração. Inspirada por uma mulher que escreveu sobre suas experiências com o uso de biquíni na praia, Ospina decidiu que queria descobrir por si mesma como seria essa experiência. A única diferença é que, ao invés de usar um maiô de cintura alta como a mulher mencionada fez, ela decidiu usar um biquíni de cintura baixa.

Vulnerável. “Eu nunca usei um biquíni de cintura baixa, nem mesmo quando era mais magra, na época do colégio, ou quando criança. Eu temia o quão vulnerável isso me deixaria, da mesma forma que temia comprar lingerie plus size pelo mesmo motivo ”, escreveu Ospina, originalmente para a Bustle.

Reações. Apesar de seus medos e inseguranças, Ospina observou todas as pessoas que encontrou e escreveu que obteve reações positivas e negativas de todas elas.

Casais. Ela escreve que a maioria das reações negativas que recebeu surpreendentemente veio de casais mais jovens. Sem surpresa, os homens sempre foram os primeiros a apontá-la para suas parceiras.

Zombando. “No total, três casais jovens me olharam com zombaria e, em cada caso, foi o homem que alertou a mulher da minha presença”, contou Ospina

Ofendidos. Ospina escreve que ela não acha que as mulheres teriam notado Ospina se não fosse por seus parceiros apontarem para ela. “É quase como se os homens ficassem ofendidos”, escreve Ospina, via Bustle.

Educados. Enquanto os casais mais jovens pareciam os mais críticos, os casais mais velhos, por outro lado, pareciam mais encorajadores e educados, com a maioria dando a ela olhares gentis. “Isso me deu esperança de que as pessoas superassem sua intolerância”, escreve Ospina.

Xingamentos. No entanto, ela enfrentou um encontro infeliz com um homem de meia-idade que estava com sua família. Ela ouviu o homem xingando-a e, embora o xingamento em si fosse doloroso o suficiente, o fato de ele estar ensinando seus filhos a odiar outras pessoas a perturbou  mais.

Fobia. “Não tenho dúvidas de que a fobia de gordura, junto com qualquer outra fobia dirigida a grupos de seres humanos, é muitas vezes um comportamento aprendido. Mas, vê-lo em ação, me pegou completamente desprevenida e foi, em alguns sentidos, a parte mais devastadora do experimento ”, descreveu Ospina.

Garotas. Ospina escreve que ela também recebeu olhares de grupos de meninas. Ela até ouviu uma delas dizer “Olhe para a mulher gorda”, o que Ospina disse que não parecia ser um comentário rude, mas sim uma observação surpreendente.

Outras mulheres. Para a surpresa de Ospina, ela encontrou outra mulher plus size que também usava  um biquíni de cintura baixa. “Algumas vezes nos nos  avistávamos e sorríamos. A solidariedade entre as mulheres é uma coisa poderosa, especialmente quando são mulheres que você sabe que podem compreender com que você está passando ”, escreve Ospina.

Reações. Em suma, Ospina chegou à conclusão de que das muitas pessoas que estiveram na praia no dia em que ela usou seu biquíni de cintura baixa, apenas algumas pareciam notá-la, e se não fosse por causa do fato de que ela estava propositalmente procurando as reações das pessoas, Ospina diz que ela não teria prestado atenção nelas em primeiro lugar.

Encorajamento. Ospina incentiva outras mulheres a usarem o que quiserem, sem ter que se sentir constrangidas ou temer o que as pessoas vão dizer. Ela escreve que a maioria das pessoas é rápida em julgar o que é estranho ou não considerado “normal”, mas que podemos mudar isso escolhendo ser nós mesmos.

Acolhimento. “Em vez disso, são nossas percepções e mesquinhez em relação ao diferente, o ou o peculiar que precisam mudar. E, enquanto isso, a única maneira de normalizar o ‘anormal’ é abraçá-lo – Usar o biquíni se quiser ou se vestir de travesti se quiser ”, escreve Ospina.

Que lição, em gente!

Todas as imagens são de de Marie Sousthard Ospina. Siga-a no Instagram

Texto traduzido e adaptado pela CONTI outra. Do texto original de Jade Small , em Mystical Raven

RECOMENDAMOS






Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.