Há pessoas, não muito para sermos honestos, que passam a vida com energia, pisando e irradiando entusiasmo em abundância. E depois há o Victor Küppers. Este Bacharel em Administração de Empresas e Gestão é impossível de bater em paixão e entrega. Mas isso não é o melhor. A melhor coisa é que este Doutor em Humanidades tem uma capacidade comunicativa infinita que lhe permite transmitir essa paixão pela vida a quem quiser ouvi-lo.

É por isso que ele se tornou um professor de referência no campo da psicologia positiva. Ele subtrai méritos (“Eu passo o dia lendo especialistas, eu copio as idéias, eu as penduro em um Power Point e eu as transmito.) Meu trabalho é muito fácil”, ele diz), mas a legião de seguidores que ele tem, e que não para de crescer, não pensa o mesmo.

Pergunta: Como você consegue falar sobre psicologia positiva em cada uma de suas conferências com o ânimo da primeira vez?

Resposta: Tenho 15 anos dando conferências, um dia eu me dei conta que em uma palestra a parte que fala nunca é a mais importante, mas sim quem ouve. Para essas pessoas que estão te escutando é a primeira vez.

No seu caso, deixe-me duvidar disso. Pois há muitas pessoas que repetem suas palestras.

Talvez sim, mas o mais importante ainda é quem está ouvindo. E isso me motiva muito a explicar algo que acho que pode ajudar, e não me importo se estou repetindo o momento de explicá-lo. Eu tento ajudar essa pessoa a pensar, refletir.

Nós temos a vida que queremos?

Não, eu defendo que nos aproximamos da vida como queremos. É algo que você pode escolher. E eu acho que se concentrar nas coisas de uma forma positiva é muito mais inteligente do que ser levado pelo pessimismo, pelo negativismo.

“Há um culto excessivo de inteligência. Vamos ver, é importante, um tolo motivado é um perigo. Mas a inteligência sem bondade leva a um mundo imoral, antiético e perverso, onde apenas os benefícios importam.”

E o nosso jeito de ser, é também uma escolha?

Sim. Ser inteligente é um presente, uma sorte. Ser gentil, ser uma boa pessoa que ajuda os outros ou ser uma pessoa generosa é uma escolha e tem muito mais mérito! No final, lutar para ser a melhor pessoa que você pode se tornar é o que faz você se sentir alegre.

“Quando você está cansado de tudo, as coisas não importam para você. As pessoas cansadas não querem fazer as coisas bem ou darem suas melhores versão. Nem querem lutar para serem um pouco melhor. As pessoas já não vêem esperança e não há nada pior do que viver sem esperança.”

Você argumenta que a inteligência é um traço superestimado.

R. Absolutamente. Há um culto excessivo à inteligência. Vamos ver, é importante, um tolo motivado é um perigo. Mas a inteligência sem bondade leva a um mundo imoral, antiético e perverso, onde apenas os benefícios importam. A diferença está no ‘ser’. O conhecimento é importante, a experiência é importante, mas a chave é a atitude. E a atitude não é reduzida a ser positiva, ela também consiste em ser uma pessoa trabalhadora, e, acima de tudo, boa.

Mas não há muitas pessoas assim, eu temo.

Essa é a desgraça, mas eles são o que precisamos. Mas todo mundo tem o potencial de ser bom, de ter uma boa atitude, de trazer o melhor de dentro, mas o que você tem que ter é o desejo de tirá-lo de lá. Há uma frase de Martin Luther King que eu levo há muitos anos na sala de aula para meus alunos verem [Küppers ensina na Universidade de Barcelona e na Universidade Internacional da Catalunha]. Ele diz: “Nossa geração não terá lamentado tanto os crimes dos ímpios quanto o silêncio chocante dos bons”. E é verdade, existem muitas pessoas boas que procuram o outro lado. Há muitas pessoas boas que não querem se esforçar para significar, reivindicar a dignidade do povo. E isso é covarde e egoísta.

Você explica, num tom engraçado, que a nossa é uma sociedade de idiotas. Quão ruim somos nós?

Você quer que a gente olhe pela janela por um tempo? Eu tenho muito tempo livre e gosto de observar as pessoas, e vejo pessoas desanimadas, angustiadas, carregadas de incertezas, pressionadas, preocupadas, estressadas … Essa é a sociedade em que vivemos. É nesse sentido que digo que somos idiotas. E isso se traduz em pessoas que andam rápido na rua, como galinha sem cabeça, que não cumprimentam ninguém, que corre o dia todo, que come em 10 minutos.

Quantas vezes você se deparou com alguém que lhe disse que sua fala é demagógica?

O filtro que eu coloco é: ‘o que eu explico, eu acredito nisso?’. Se eu não acredito, eu não explico isso. Eu não poderia recomendar algo que eu não acredito. E eu tenho um segundo filtro.

Eu me pergunto, isso é prático? Isso realmente ajuda? É útil ou é demagogia? Eu sempre tento escapar da demagogia. E existem muitos conceitos de auto-ajuda que são muito demagógicos. Existe um livro chamado ‘The Secret’ que causou muitos danos. Este livro dizia: ‘Tudo o que você pensa, você terá. E se você não tem, você não colocou tudo em você. A psicologia positiva não é demagógica, ela trabalha com fatos.

É para ver como você pode melhorar. Concentrar-se para apreciar o que você está fazendo não é demagogia, amar as pessoas e perceber que elas são a coisa mais importante que você tem não é demagogia, é a verdade. Também é verdade que há pessoas que dizem que é demagogia e não fazem nenhum esforço por si mesmas. É mais fácil não fazer nada, então a falha continua sendo do outro. Nós gostamos de culpar os outros por todos os nossos problemas. A culpa é sempre um político, o chefe, um cliente … e eu me pergunto, você não tem uma responsabilidade? Sim, existe uma responsabilidade pessoal.


Você consegue aplicar as dicas que explica em conferências?

Eu acredito em tudo que eu digo e gostaria de ser tudo o que eu explico. Mas estou tão longe! Mas pelo menos eu sei como gostaria de ser e luto para isso. E às vezes eu entendo. Você sabe o que acontece? Que eu expliquei tantas vezes que o tenho muito internalizado, e no mínimo que eu desvio um alarme dispara. A luta para ser a pessoa que a gente quer ser é gratificante e torna a vida emocionante.

TEXTO TRADUZIDO DE CLARÍN

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




REDAÇÃO PSICOLOGIAS DO BRASIL
Os assuntos mais importantes da área- e que estão em destaque no mundo- são a base do conteúdo desenvolvido especialmente para nossos leitores.