Por Adriano Ryba

1) Adaptabilidade. Muitos chamam de resiliência, mas prefiro imaginar como um galho de bambu ou taquara – resistentes e flexíveis -, que se dobram com vento para não quebrarem. Na vida, precisamos nos adaptar à realidade do presente, mesmo que busquemos algo melhor no futuro. Se não temos grana para comprar um pacote de dados no celular, baixamos as mídia previamente no Wi-Fi. Se precisamos andar de transporte coletivo, procuramos tornar o evento mais divertido e confortável possível.

2) Os fins não justificam os meios. Essa frase de Maquiavel é válida quando se quer chegar no objetivo final. Porém, na vida, queremos viver bastante. Não é uma corrida de quem chega primeiro. O percurso é importante, saber olhar para o futuro e também viver o agora. Por que algumas pessoas preferem passear de barco à vela ao invés de uma lancha veloz? Mais importante do que chegar no destino, o velejador quer curtir o momento, não importa o tempo de viagem mais longo.

3) No pain, No gain? Já ouviu a expressão “sem dor, não há resultados”? Os músculos podem precisar de desgaste para crescerem. Porém, na vida emocional, não funciona assim. Sentimentos e relações não devem ser espremidos até o limite pois não se regeneram sozinhos após uma noite de sono. O afeto é como uma planta que precisa ser semeada e regada.

4) Look at the big picture. Essa é uma expressão comum no inglês que pode ser traduzida: olhe o contexto maior. Significa que muitas situações tensas e difíceis exigem que você tome perspectiva, igual quando no computador você diminui o zoom e vai se afastando do documento. Tente olhar as adversidades como se você fosse um observador externo. Isso permitirá ver um outro ângulo e trará mais serenidade nas escolhas.

5) Think outside the box (Pensar fora da caixa). Parece simples, mas o desenvolvimento da criatividade e da percepção é trabalhoso e capaz de mudar sua realidade. Tente exercitar sua mente com jogos inteligentes e logo começará a aplicar aquelas lógicas dos games em seu dia a dia. Quebra-cabeças, jogos eletrônicos no estilo Sokoban, 2048, Candy Crush, Unblockme e derivados exigem que você decifre uma lógica e force novas conexões. Não fique muito tempo na mesma atividade, tente entender como aquele raciocínio pode ser transposto para sua realidade e parta para outro.

6) Um passo pra trás para dar dois passos pra frente.Saber recuar e retroceder é fundamental… Dimensionar as expectativas ao que realmente está ao seu alcance. Ao longo da vida, vamos passar por insucessos, falências e frustrações. Não há mal em aprender com o episódio e se reerguer aos poucos.

7) Reatividade proporcional. Situações já vividas no passado e que não foram digeridas adequadamente podem se repetir de forma semelhante no futuro. Quando isso acontece, costumamos descarregar nossa raiva ou tristeza toda de uma vez no episódio presente. Reagimos desproporcionalmente ao que a situação exigiria, já que no passado não conseguimos lidar da maneira como gostaríamos. Acabamos por descontar nos outros uma ferida que é nossa. Tente enxergar se a sua reação foi proporcional ao que aconteceu e saiba pedir desculpas quando exagerar. Aproveite, então, para curar a ferida do passado.

8) Ponto de maturação. Se eu nunca tivesse visto um abacaxi, não saberia quando ele está maduro para comer. Aprendi com a experiência. Muitas situações ainda não estão maduras o suficiente para serem enfrentadas. Pode ser uma transação a ser concretizada, um término de relacionamento ou decisões cotidianas. Tudo possui seu ponto de maturação. Saber o momento certo (timing) leva tempo mas é um aprendizado fundamental que vamos carregar para repetições futuras. Nem tudo está ao nosso alcance e acontece apenas por nossa vontade. Ter paciência para esperar o fruto amadurecer é uma das mais duras lições que aprendi. O abacaxi maduro é muito mais gostoso.

9) Disruptividade. Não importa a sua área de trabalho; com o passar do tempo as coisas mudam. Novas tecnologias surgem, profissionais aperfeiçoam o impensado. Portanto, esteja ligado no que acontece no mundo e à sua volta. Quem se acomoda com o passar do tempo ficará defasado (no trabalho, na cultura e até nos seus preconceitos). Relaxe, adapte-se, seja ético, construa pontes emocionais, olhe o contexto maior das situações, sinta o timing, deixe a sua criatividade fluir, saiba quando recuar e quando reagir adequamente.

TEXTO ORIGINAL DE BRASILPOST

Compartilhar

RECOMENDAMOS




Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.

COMENTÁRIOS