Você sabe a diferença entre o amor genuíno e amor romântico? Amor genuíno é aquele que deseja o bem e felicidade do outro. Segundo Skinner, existem três níveis de seleção. No 1º nível há interação erótica; paixão; não se fala em Amor, mas em desejo. É o amor Eros, segundo os gregos. No 2º, denominado Philia, tem amizade individualista, é egoísta, desprovida de admiração, fraternidade, companheirismo; ocorrem interações de opressão e submissão; amizade imatura e sensorial. As pessoas podem evoluir em sua história ontogenêtica, até chegar no nível cultural.

Quando o individualismo é medido e polido pelo 3º nível; a amizade é madura e regulada por sensibilidade, onde o belo está naquele que amo, sem erotismo e sem preconceitos ou preferências; estamos falando do terceiro nível de seleção e essas pessoas são tidas como acolhedoras, amorosas, tranquilas, tolerantes diante das dificuldades da vida, altruístas etc.
Na Grécia Antiga, esse terceiro nível de seleção era denominado de Ágape.

A história de contingências de reforçamento cultural estabelece limites para os determinantes filo e ontogenéticos, uma vez que inclui e amplia, decididamente, a importância do outro na interação amorosa e, como tal, alça o Amor ao seu nível mais elevado. Então, o amor genuíno é caracterizado pela compaixão, caridade, fraternidade, cooperação. Vai além de amar o outro como a si mesmo; é amar o outro mais do que a si mesmo. É Belo aquele que amo, sem erotismo e sem preconceitos ou preferências; é Belo o outro ser humano ” (GUILHARDI, 2015).

Pode ser que haja interação entre os níveis, como o 2º com o 3º, aonde prevalecem amizade, admiração, fraternidade, companheirismo, desde que as interações de controle e contracontrole (como cada uma das partes se influenciam) se equilibrem. Assim, não há relação de opressão, nem de submissão. Segundo Skinner, o amor mais maduro seria regido pela interação equilibrada dos três níveis. Porém, vale considerar, que nas profissões em que lidam com outros seres humanos, que ajudam vidas, a prioridade deve ser o amor genuíno, aonde o que mais importa é de quem se cuida.

FONTE: ITCR- Interações Amorosas sob perspectiva comportamental.

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Amanda Sabatin Nunes da Silva
Psicóloga formada pela Puc-Campinas e em terapia por contingências de reforçamento (TCR) pelo Instituto de Terapia por Contingências de Reforçamento (ITCR), aonde curso especialização. Procuro sempre me aperfeiçoar nas áreas de interesse, estando por dentro das novidades da análise do comportamento no contexto da clínica, psicologia hospitalar, orientação vocacional, psicologia escolar. Fiz aprimoramento em ABA para autistas e além de atuar no contexto da clínica, faço treinamento em serviço na UNICAMP, aonde atendo muitos casos de transtornos mentais. Sempre me interessei muito por textos que abordam assuntos psicológicos, sentimentos, personalidade, relacionamentos e sempre gostei muito de escrever temas psicológicos e acredito que escrevendo também se aprende, por isso tento criar novos conteúdos em relação ao que aprendo e compartilhar conhecimentos. Sou bastante curiosa, proativa, organizada e determinada. Espero ser uma forma de crescimento e que os conteúdos possam ajudar a todos.

COMENTÁRIOS